Mercado
Dolar: R$ 2,21  (+100,00%)
Euro: R$ 2,98  (+100,00%)
Dow Jones Nasdaq Ibovespa
+100,00% +100,00% +100,00%

Buscar em
Agência AutoData
Imprimir | Aumentar Fonte | Diminuir Fonte | Enviar
Aftermarket 23/02/2007 18:10
Roberto Hunoff, da sucursal de Caxias do Sul, RS

Opcional: ar-condicionado para Kombi.


Os proprietários de Kombi fabricadas no Brasil a partir de 1997 têm, desde a segunda quinzena do mês, a possibilidade de equipar o veículo com ar-condicionado. Há muito tempo líder de vendas no segmento de vans a Kombi jamais contou com este conforto – razão principal para o desenvolvimento do equipamento pela Refrijet Ar-condicionado Automotivo, de Cachoeirinha, RS. O item faz parte do pacote de R$ 300 mil que a empresa aplicará no desenvolvimento de novos produtos neste ano.

Batizado de Jet-3200 o equipamento foi desenvolvido por Carlos Flores, gerente nacional de vendas, e Maurício Muller, supervisor de marketing, após realização de pesquisa com frotistas proprietários do veículo. Flores nota que “o ar-condicionado sempre foi muito requisitado por empresas e admiradores da Kombi. Pela condição de liderança nas vendas de seu segmento sempre demandou constantes buscas por conforto e segurança, principalmente depois das mudanças que o modernizaram. Com a nova motorização 1.4 Totalflex o sonho de refrigerar o veículo tornou-se possível”.

A certeza do sucesso é tanta que a direção da empresa projeta, para este ano, a venda de 1 mil unidades, das quais 15% devem ser vendidas no mercado externo, basicamente na Argentina, Uruguai e Chile. A colocação se dará por meio dos concessionários Volkswagen e pelos mais de 4 mil instaladores autorizados da Refrijet no Brasil.

Haverá versões para os modelos estandarde e furgão, tanto para o transporte de passageiros quanto para cargas, com 34 mil Btu´s de potência e preço médio de R$ 2,5 mil. Desenvolvimento nacional, com utilização de alguns componentes importados, como o compressor, o ar-condicionado para Kombi é compacto e opera com três velocidades.

Outra novidade da Refrijet para frotistas é a substituição do sistema analógico pelo digital em toda a linha de ar-condicionado, à disposição do mercado desde janeiro. Mesmo com este avanço tecnológico a empresa não alterará a tabela de preços para os modelos Ducato, Boxer, Sprinter, Iveco, Doblô e Master nos segmentos de transporte de passageiros e de ambulâncias. No segundo semestre o mesmo sistema deve ser oferecido para os proprietários de Kombi.

Desempenho – A Refriget estima elevar as vendas de equipamentos de ar-condicionado em 17% este ano, alcançando 15 mil unidades. Destas em torno de 90% ficarão no Brasil. No segmento de vans o equipamento para Kombi deverá representar alta de 8% na produção. Já a receita da empresa, que Flores não revela, deve evoluir 27%.

A empresa atua no mercado de ar-condicionado para automóveis, vans, microônibus, ônibus, veículos fora-de-estrada, máquinas agrícolas e caminhões, além de equipamentos de refrigeração para transporte. Com exceção da área agrícola, para a qual também fornece diretamente à linha de produção de algumas montadoras, os demais segmentos são atendidos somente no after market. Mas existem projetos em andamento, mantidos em sigilo, pela direção, para mudar este quadro.
Voltar

 

AutoData, TranspoData, CEA, Seminários, Eventos Empresariais, Prêmio AutoData, Setor Automotivo, Editora, Revistas, Documentos, Agência de Notícias, WebTV, Gestão, Revista Automotiva, Setor Automotivo Brasileiro, Setor Automotivo Mundial, Guia de Caminhões, Guia de Ônibus, Guia de Veículos Comerciais Leves, Brazil Automotive Guide, Multimídia, Guia do Setor Automotivo Brasileiro, Setor Automotivo Latino Americano, Feiras do Setor Automotivo, Perspectivas do Setor Automotivo Brasileiro, Compras Automotivas, Revisão das Perspectivas do Setor Automotivo Brasileiro, Lançamentos de Veículos, Conjuntura do Setor Automotivo Brasileiro, Notícias sobre Empresas de Autopeças, Perspectivas do Setor de Autopeças, Evolução Tecnológica do Setor Automotivo, Desenvolvimento do Setor Automotivo Brasileiro, Mercado Brasileiro de Veículos, Mercado Brasileiro de Ônibus, Mercado Brasileiro de Caminhões, Tecnologia Automotiva, Montadoras Brasileiras, Montadoras instaladas no Brasil, Fábricas de Veículos, Fábricas de Caminhões, Fábricas de Motocicletas, Fábricas de Ônibus, Encarroçadoras de Ônibus, Encarroçadoras de Caminhões, Automóveis, Caminhões, Ônibus, Carroçarias, Pneus, Sistemistas, Montadoras, Autopeças, Anfavea, Sindipeças, Fenabrave, Abimaq, Abraciclo, Motocicletas, Volkswagen, General Motors, Fiat, Ford, Mercedes, Volvo, Scania, Iveco, MAN, PSA, Renault, Peugeot, Honda, Toyota, Nissan, Citroën, Agrale, Marcopolo, Randon, Neobus, Keko, Caio