Agência AutoData de Notícias


Investimento -
Roberto Hunoff, de Caxias do Sul, RS

Vipal terá fábrica de pneus em Guaíba

Array ( [last_activity] => 1438637855 [user_agent] => CCBot/2.0 (http://commoncrawl.org/faq/) [session_id] => m2rqpqv7pqg9spfp9nji3lchi4 [B64KEY] => 71b79c52678b3e493bb136febf9adee4 ) 1

A Borrachas Vipal, de Nova Prata, RS, anunciou nesta segunda-feira, 29, a construção de fábrica de pneus para máquinas agrícolas e para o mercado de reposição de automóveis. O investimento de US$ 200 milhões representa o ingresso da empresa em novo nicho de mercado, pois seu negócio sempre foi a linha de reparos para pneus. A empresa ocupará parte de terreno de 970 hectares em Guaíba, RS, inicialmente destinado à Ford no final dos anos 90.

Outras cinco empresas, de diversos setores, também anunciaram presença industrial em Guaíba, num total de R$ 850 milhões de investimentos e de geração de 2,3 mil empregos diretos.

De acordo com o presidente da Vipal, João Carlos Paludo, pretende-se contratar novecentas pessoas. O início da construção da planta de 70 mil m2 está, agora, na dependência da liberação pelos órgãos ambientais. A estimativa é a de que a produção inicial seja de 7 mil pneus/dia.

O investimento está em linha com a recente aquisição, por parte da Vipal, de 15% do controle acionário da fabricante de pneus argentina Fate. Por meio de sua rede de distribuição a empresa gaúcha comercializará a marca argentina em todo o Brasil.

Também a Terex, fabricante de equipamentos rodantes para construção pesada e de estradas, investirá em Guaíba. Serão R$ 150 milhões e quinhentos novos empregos anunciados. A intenção é iniciar a produção em quinze meses.

Outras quatro empresas, de diferentes setores, confirmaram aportes em Guaíba, totalizando R$ 700 milhões e a geração de 1,8 mil empregos e outros 5 mil indiretos. Da lista não consta a fábrica de caminhões NC2, resultado de joint venture de Navistar com Caterpillar, que ainda negocia sua localização: Paraná, São Paulo e Santa Catarina também disputam a planta.

A área destinada à Ford no passado foi transformada agora em distrito industrial. Nesta etapa inicial serão ocupados 357 hectares. Restaram mais 200 para novos investimentos. A Toyota mantém lá, há cinco anos, um centro de distribuição de veículos.


Volume representaria queda de 22% ante mesmo mês de 2014 e alta de 7,5% ante junho
Esportivos WRX e WRX STI chegam ao mercado brasileiro
Confira mais um artigo exclusivo de José Rubens Vicari
Quinhentas unidades separam os dois modelos faltando um dia para o fechamento
Montadora abre processo para admitir até 500 trabalhadores nas duas fábricas
MercedesServiceCard oferece serviços aos clientes em parceria com Ticket Car