Agência AutoData de Notícias


Implementos rodoviários -
Aline Feltrin

Rodada de negócios impulsiona exportações

Array ( [last_activity] => 1498447910 [user_agent] => CCBot/2.0 (http://commoncrawl.org/faq/) [session_id] => f4vfn8fkml2cc4remscuq21ht5 [B64KEY] => 8f4c83d86082c9f9423c50b42e585bf9 ) 1

O convênio que a Anfir, Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, assinou no início de 2016 com a Apex, Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos, com o objetivo de incentivar suas exportações, acabou em fevereiro. A parceria possibilitou que as empresas associadas colocassem em prática estratégias de aproximação com clientes na América Latina.

De acordo com o presidente Alcides Braga estas ações contribuíram para o aumento de 18,9% no volume de exportações no ano passado. Os negócios movimentados por meio dessa parceria significaram US$ 35 milhões.

O convênio implicou investimento de R$ 1 milhão, sendo R$ 700 mil da Apex. A agência atua como fomentadora de negócios internacionais das empresas brasileiras: “No ano passado participamos de missões no Chile, Colômbia e Peru, e também recebemos grupo de compradores em São Paulo”.

O presidente da Anfir disse um novo projeto já foi enviado para aprovação pela Apex. Braga, contudo, está preocupado:

“A situação é preocupante porque não temos condições de afirmar se haverá esta renovação porque o momento ainda é de contenção de gastos do governo”.

A nova parceria proposta pela Anfir prevê investimento de R$ 2 milhões e um contrato de dois anos: R$ 1,3 milhão da Apex e R$ 700 mil das fabricantes de implementos. A verba, segundo ele, será utilizada para dar continuidade às prospecções comerciais na América Latina e na África.

Apesar da descrença Braga disse que assinatura deste novo contrato será importante para que as exportações do segmento sejam superiores às registrada no ano passado, “pois o convênio com a Apex teve a virtude de fazr crescer, de cinco para quinze, o número de empresas exportadoras”.

Em 2016 as empresas associadas embarcaram 4 mil 86 máquinas, e 3 mil 436 no ano anterior.

A Randon Veículos, braço armado de implementos da empresa, foi uma das que participou do convênio. Com longa trajetória em exportações, contabilizou US$ 49,6 milhões em embarques no ano passado.

Mercado interno – No primeiro trimestre deste ano foram emplacadas 11 mil 445 unidades de implementos, queda de 26,82% com relação ao mesmo período do ano passado, quando foram licenciadas 15 mil 640 unidades. Por setores o recuo foi de 31,09% em chassi sobre reboque – 6 mil 540 emplacamentos – e queda de 20,24% no de reboques e semirreboques.

No entanto a Anfir ainda mantém projeção de crescimento de 10% nas vendas internas para este ano. Alcides Braga acredita que alguns setores da economia estão puxando essa alta, como o de papel e celulose e de mineração.

Braga observou que os leilões de aeroportos, que devem ser iniciados no segundo semestre, também contribuirão para o crescimento, sobretudo nas vendas de implementos tipo betoneira: “Serão realizados com empreiteiras de médio porte, com perfil diferente das tradicionais, e que precisarão comprar novos caminhões”.

Para 2018 a expectativa da Anfir é a de que a taxa TLP, Taxa de Longo Prazo do Finame, que substituirá a atual TJLP, Taxa de Juros a Longo Prazo, traga mais previsibilidade e que isto contribuirá para a geração de novos negócios. Veja aqui. De acordo com Braga o BNDES passará a atuar com taxas mais próximas às do mercado.


Custo operacional é o diferencial do MOBQI, que reúne em um só sistema funções de diversos aplicativos. 40 mil veículos, a maioria de empresas de ônibus, já estão cadastrados no Brasil.
De janeiro a maio, banco aprovou R$ 8,9 bilhões. No mês passado, a expansão foi de 59% na comparação com maio de 2016
Plataforma de fretes já tem 250 mil caminhoneiros autônomos na base e atuação forte em grandes empresas
Disal expande atuação para além da Volkswagen e hoje é a terceira administradora de cotas do País
Falha em cabos do freio de estacionamento levará às concessionárias quase 90 mil veículos. É o terceiro recall em dois anos.
CEF libera R$ 30,3 milhões para a Suzantur para a compra de cem ônibus