Agência AutoData de Notícias


Internacional -
Redação AutoData

Argentina legaliza produção de ônibus elétricos

Array ( [last_activity] => 1500791640 [user_agent] => CCBot/2.0 (http://commoncrawl.org/faq/) [session_id] => svi8un1cicbk5365c4tni3qvs0 [B64KEY] => 8e8c90cb6d84a740ec96009bab24ef18 ) 1

Depois de ter reduzido a burocracia para a importação de carros elétricos e híbridos o governo argentino deu outro passo para abrir o mercado de transporte para energias limpas. Segundo o Flash de Motor, da Venezuela, a CTS Auto, subsidiária da BYD, recebeu autorização para operar uma fábrica para a produção de ônibus elétricos.

Isaac Attie, porta-voz da CTS, disse que a companhia projeta investimento de US$ 100 milhões na primeira fase do projeto, valor que poderá crescer dependendo do mercado. O executivo, no entanto, não informou onde será estabelecida a fábrica. Pelo decreto divulgado pelo governo a empresa deverá iniciar as obras “em até 180 dias” e a produção de ônibus deverá começar em 2019.

A CTS Auto está na Argentina desde 2011 e Attie afirmou que seu presidente participou de encontros com autoridades do governo argentino para tornar viáveis políticas de mobilidade por meio do Ministério da Indústria e do Transporte. No ano passado o governo abriu licitação para a compra de quatrocentos ônibus elétricos, mas o processo foi cancelado: “Durante esses anos nos encarregamos de ações de promoção da empresa esperando para iniciar a produção. E homologamos o primeiro ônibus urbano elétrico do país”.

A partir de agora, segundo ele, a ideia é fabricar esses ônibus com a maior integração de peças locais possível apesar de reconhecer que grande parte dos componentes deverá ser importado, como as baterias e motores elétricos. Disse, também, que a BYD venderá sua produção a operadores privados de transportes, que servem prefeituras, governos estaduais e o federal. A produção, no futuro, tende a crescer – mas tudo dependerá do comportamento do mercado.

Pela autorização do governo a empresa poderá comercializar os ônibus no mercado interno e também em outros países. A BYD tem presença em catorze países na América Latina e dispõe, em seu portfólio, de veículos elétricos, híbridos e a combustão. Sua origem é a China e tem investidores estrangeiros, como Warren Buffet.

O anúncio da produção na Argentina se dá em um momento em que o presidente se encontra em missão oficial pela China e Japão em busca de novos investimentos e linhas de financiamentos. Attie confirmou que “o governo tem feito muitas ações na busca por novos aportes para a indústria. Isso gerou um clima mais favorável ao investimento”.

CTS Auto é a terceira empresa que consegue autorização para abertura de fábrica no país desde o atual governo assumiu, depois de Ralitor e Zanella.


Faturamento chegou a R$ 1,3 bilhão no período, mas cresceu 17,8% em junho na comparação com o mesmo mês do ano passado
No mundo, MAN, Scania e Volkswagen Caminhões e Ônibus comercializaram mais de 90 mil unidades no semestre. Alta de 8%.
Decisão do governo de aumentar alíquota do PIS/Cofis sobre combustível terá impacto maior no transporte de grãos
Pesquisa da Bloomberg aponta que a queda no preço da bateria será fundamental para o crescimento desse tipo de veículo
O presidente David Powels traçou plano para assumir a segunda posição em 2018 e a liderança, de volta, até 2020: ?O terceiro lugar não é lugar para a Volkswagen no Brasil?.
Modelos agora também fazem parte da linha Pepper, mais esportiva. Junto com Fox.