Agência AutoData de Notícias


Interncional -
Bruno de Oliveira

Volume de veículos brasileiros na Colômbia cresce 55%

Array ( [last_activity] => 1500791651 [user_agent] => CCBot/2.0 (http://commoncrawl.org/faq/) [session_id] => 2sscd4phg9lqd39djak8bvo5a5 [B64KEY] => 8e8c90cb6d84a740ec96009bab24ef18 ) 1

O mercado colombiano de veículos diminuiu 5% no primeiro quadrimestre em comparação com o mesmo período de 2016: 73 mil 376 unidades contra 77 mil 128 mil. Apesar do cenário, os veículos brasileiros aumentaram sua participação nas exportações, 5 mil 172 unidades, 55,7% a mais do que nos primeiros quatro meses do ano passado. Com isso veículos produzidos aqui detiveram 7,1% do mercado, que dispõe apenas de montagem CKD, o que os tornaram o quarto principal fornecedor.

Segundo dados da Andemos, associação nacional dos montadores de veículos daquele país, do total vendido de janeiro a abril 30 mil 412 foram automóveis, volume 6,8% menor do que o registrado em idêntico período do ano passado, quando o mercado colombiano comprou 31 mil 341 unidades. Nissan, Mazda, Ford, Volkswagen, Toyota e Suzuki foram as únicas fabricantes – das dez que mais vendem à Colômbia – que viram suas vendas crescerem no período. A Volkswagen foi a que obteve o crescimento mais expressivo, 40,4%, saltando de 2 mil 135 unidades para 2 mil 998 em 2017.



A General Motors foi a que mais vendeu veículos à Colômbia no quadrimestre, sobretudo o modelo Spark. Comercializou 16 mil 656 unidades. Ainda que seja a principal empresa do segmento de automóveis naquele país esse volume é 12,2% menor do que o verificado em idêntico quadrimestre do ano passado, 18 mil 962. A Renault, segunda maior empresa, vendeu 14 mil 981 unidades, 4,3% menos do que em 2016 – seu principal produto é o Sandero Expression, seguido pelo Logan Expression.

O volume de veículos montados na Colômbia diminui 14,4%, chegando a 25 mil 24 unidades. A participação de veículos produzidos no Brasil, por outro lado, aumentou 55,7% de janeiro a abril. A tendência é a de que o volume exportado siga crescendo por causa do estreitamento das relações comerciais dos dois países, que se intensificou a partir da assinatura de acordo de livre-comércio em abril e quedeverá entrar em vigor a partir de janeiro.


Faturamento chegou a R$ 1,3 bilhão no período, mas cresceu 17,8% em junho na comparação com o mesmo mês do ano passado
No mundo, MAN, Scania e Volkswagen Caminhões e Ônibus comercializaram mais de 90 mil unidades no semestre. Alta de 8%.
Decisão do governo de aumentar alíquota do PIS/Cofis sobre combustível terá impacto maior no transporte de grãos
Pesquisa da Bloomberg aponta que a queda no preço da bateria será fundamental para o crescimento desse tipo de veículo
O presidente David Powels traçou plano para assumir a segunda posição em 2018 e a liderança, de volta, até 2020: ?O terceiro lugar não é lugar para a Volkswagen no Brasil?.
Modelos agora também fazem parte da linha Pepper, mais esportiva. Junto com Fox.