Agência AutoData de Notícias


Aftermarket -
Roberto Hunoff, da sucursal de Caxias do Sul, RS

Opcional: ar-condicionado para Kombi.

Array ( [last_activity] => 1472316642 [user_agent] => CCBot/2.0 (http://commoncrawl.org/faq/) [session_id] => 5dl3vn2mfj4ti11uaggpqfhg24 [B64KEY] => d70a8add9db3eba55182357143c3de23 ) 1
Os proprietários de Kombi fabricadas no Brasil a partir de 1997 têm, desde a segunda quinzena do mês, a possibilidade de equipar o veículo com ar-condicionado. Há muito tempo líder de vendas no segmento de vans a Kombi jamais contou com este conforto – razão principal para o desenvolvimento do equipamento pela Refrijet Ar-condicionado Automotivo, de Cachoeirinha, RS. O item faz parte do pacote de R$ 300 mil que a empresa aplicará no desenvolvimento de novos produtos neste ano.

Batizado de Jet-3200 o equipamento foi desenvolvido por Carlos Flores, gerente nacional de vendas, e Maurício Muller, supervisor de marketing, após realização de pesquisa com frotistas proprietários do veículo. Flores nota que “o ar-condicionado sempre foi muito requisitado por empresas e admiradores da Kombi. Pela condição de liderança nas vendas de seu segmento sempre demandou constantes buscas por conforto e segurança, principalmente depois das mudanças que o modernizaram. Com a nova motorização 1.4 Totalflex o sonho de refrigerar o veículo tornou-se possível”.

A certeza do sucesso é tanta que a direção da empresa projeta, para este ano, a venda de 1 mil unidades, das quais 15% devem ser vendidas no mercado externo, basicamente na Argentina, Uruguai e Chile. A colocação se dará por meio dos concessionários Volkswagen e pelos mais de 4 mil instaladores autorizados da Refrijet no Brasil.

Haverá versões para os modelos estandarde e furgão, tanto para o transporte de passageiros quanto para cargas, com 34 mil Btu´s de potência e preço médio de R$ 2,5 mil. Desenvolvimento nacional, com utilização de alguns componentes importados, como o compressor, o ar-condicionado para Kombi é compacto e opera com três velocidades.

Outra novidade da Refrijet para frotistas é a substituição do sistema analógico pelo digital em toda a linha de ar-condicionado, à disposição do mercado desde janeiro. Mesmo com este avanço tecnológico a empresa não alterará a tabela de preços para os modelos Ducato, Boxer, Sprinter, Iveco, Doblô e Master nos segmentos de transporte de passageiros e de ambulâncias. No segundo semestre o mesmo sistema deve ser oferecido para os proprietários de Kombi.

Desempenho – A Refriget estima elevar as vendas de equipamentos de ar-condicionado em 17% este ano, alcançando 15 mil unidades. Destas em torno de 90% ficarão no Brasil. No segmento de vans o equipamento para Kombi deverá representar alta de 8% na produção. Já a receita da empresa, que Flores não revela, deve evoluir 27%.

A empresa atua no mercado de ar-condicionado para automóveis, vans, microônibus, ônibus, veículos fora-de-estrada, máquinas agrícolas e caminhões, além de equipamentos de refrigeração para transporte. Com exceção da área agrícola, para a qual também fornece diretamente à linha de produção de algumas montadoras, os demais segmentos são atendidos somente no after market. Mas existem projetos em andamento, mantidos em sigilo, pela direção, para mudar este quadro.

Com o negócio a companhia francesa pretende reforçar presença no segmento de motocicletas de baixa cilindrada
Vendas para as montadoras crescem 20,8% em junho com relação a maio e 26,5% no comparativo com o mesmo mês de 2015
Marca conta boa história de recuperação em um mercado de automóveis que só narra resultados negativos
Em ambiente que registra vendas de veículos em patamar 50% menor do que o verificado há três anos exige nova realidade no chão das fábricas
Na Massey Ferguson a modalidade já representa 28% das suas vendas