Produção de veículos em quinta marcha

Imagem ilustrativa da notícia: Produção de veículos em quinta marcha
CompartilheBalanço da Anfavea
11/08/2017

A produção de veículos segue a todo vapor. De acordo com os dados da Anfavea, de janeiro a julho foram fabricados 1 milhão 488 mil 41 unidades, alta de 22,4% no comparativo com o mesmo período do ano passado. O que puxou o desempenho foram as exportações, cujo volume no acumulado do ano foi o melhor em toda história da indústria automotiva no Brasil. 

 

Antônio Megale, presidente da Anfavea, disse que com as exportações em alta e os licenciamentos em rota de crescimento, a utilização da capacidade instalada deverá melhorar até dezembro, principalmente no segmento de automóveis e comerciais leves. Hoje, a indústria pode produzir até 5 milhões de veículos:

 

“Nossa estimativa é de uma produção de veículos de 2,6 milhões a 2,8 milhões de unidades. Isso vai nos levar a reduzir a ociosidade na indústria. Deveremos chegar a um nível menor que 50%. Hoje, estamos em 52% de ociosidade. Mas, o volume de caminhões e ônibus ainda é preocupante”. Em média, as fabricantes de veículos pesados produzem cerca de 30% de sua capacidade.

 

Em julho, a produção também cresceu com relação ao mesmo mês do ano passado. Foram fabricadas 224 mil 763 unidades ante 190 mil 612 veículos em julho de 2016: “Estamos entrando em uma certa estabilidade na produção. Isso acontece até para formar estoque para os próximos meses. Sazonalmente, agosto é um mês bom em vendas, justamente por ter mais dias úteis. Os estoques estão regulados para esse período”.

 

No mês passado, de acordo com os dados, os estoques somaram 217 mil unidades, o que equivale a 36 dias de vendas. Com esse volume, Megale disse que “o mercado está em um nível quase ideal. E isso vai se ajustar durante os próximos meses. Em geral, agosto é um mês bom de vendas”.

 

Com ritmo de produção crescente, Megale disse, ainda, que o nível de emprego na indústria teve uma leve melhora no mês passado, com crescimento de 0,2% com relação a junho: “Isso é reflexo de algumas contratações de algumas empresas”.

 

Até julho, as fabricantes de veículos e máquinas agrícolas tinham uma folha de pagamento de 125 mil 172 empregados. Na comparação com julho do ano passado, no entanto, o número de postos de trabalho na indústria caiu 1,3%. No mês passado, 12 mil 198 funcionários estavam em algum programa de flexibilização da produção, como lay-off e PSE, Programa Seguro Emprego. Em junho, esse número era de 12 mil 452 pessoas.

 

A Renault anunciou a contratação de mais setecentos funcionários para a sua linha de produção em São José dos Pinhais, PR. Esse aumento na folha de pagamento aconteceu pela abertura de um terceiro turno de trabalho para a produção do Kwid, o seu modelo de entrada. Ao todo, somente para o novo intervalo de trabalho, foram contratos 1,3 mil empregados.

 

Crédito da foto: Divulgação