Iveco aposta no crescimento de uso do câmbio automatizado

Imagem ilustrativa da notícia: Iveco aposta no crescimento de uso do câmbio automatizado

A Iveco, do Grupo CNH Industrial, projetou o crescimento de modelos semipesados equipados com câmbios automatizados no mercado brasileiro, e acredita que em dois anos 80% da frota de veículos novos do País tenham este tipo de câmbio. Em 2014 a fatia era de 3%, e aumentou ao longo do tempo em função da demanda por veículos com baixo consumo de combustível. Alinhada com a projeção a empresa estima que metade de suas vendas internas de semipesados corresponda a unidades dotadas de câmbios automatizados.

 

O cenário vislumbrado pela empresa incidirá nos negócios focados no segmento. Na visão da Iveco o horizonte é o de que o crescimento das vendas de caminhões automatizados exigirá estratégia comercial que leve em consideração treinamentos aos motoristas e, mais desafiador, a massificação dessa linha de veículo. Para Ricardo Barion, diretor de marketing para América Latina, assim como ocorre nos Estados Unidos os motoristas brasileiros têm preferência por câmbios manuais:

 

“Já os frotistas, por uma série de razões ligadas à redução de custo e à eficiência operacional, darão cada vez mais preferência à composição de suas frotas com veículos automatizados. Da nossa parte isso exigirá um esforço intenso em treinamento de motoristas por meio da rede de concessionários, para que eles conheçam o produto”.

 

Para Darwin Viegas, diretor de desenvolvimento de veículos comerciais da CNH Industrial para América Latina, os semipesados têm sido cada vez mais utilizados em aplicações que demandam veículos dotados de mais recursos no powertrain, algo que no passado aconteceu no segmento de pesados: “Operações como as de coleta de resíduos e de distribuição de varejistas exigem, hoje, basicamente redução de consumo de combustível em função da alta do preço e queda dos fretes. E quem proporcionará isso são recursos como troca inteligente de marchas e retomada de potência em baixa rotação”.

 

A empresa nutre há algum tempo a ideia de expandir a aplicação do câmbio automatizado também para sua linha de veículos leves, outro segmento no qual os clientes estão mais atentos com relação ao custo operacional. A crise nas vendas de veículos, que se intensificou no País nos últimos anos, no entanto, engavetou o projeto que, em linhas gerais, daria à luz a van Daily com câmbio automatizado, contou Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina: “Estamos acompanhando a retomada do mercado nesse sentido. Por ora a ideia é a de que nosso mix, no ano que vem, seja composto por 70% de veículos com câmbio automatizado”.

 

Crédito da foto: Divulgação