news
10/12/2014

Frota brasileira crescerá 140% em vinte anos

Por Michele Loureiro

- 10/12/2014

Estudo realizado pela Anfavea para o mercado automotivo brasileiro nos próximos vinte anos estima que a frota de veículos crescerá 140% no período. De acordo com a pesquisa a frota circulante saltará dos atuais 40 milhões de veículos para 95,2 milhões até 2034.

Segundo Luiz Moan, presidente da associação, “a previsão foi baseada no crescimento da população do País e da evolução do PIB prevista para o período. A maior parte da frota adicional será alocada nas cidades do Interior do Brasil”.

A Anfavea já havia apresentado estudo sobre a interiorização das vendas em meados de outubro. Na ocasião Moan destacou que o potencial de vendas de veículos em municípios brasileiros com até 500 mil habitantes supera a média nacional nos últimos cinco anos, vez que cresceu 73% de 2007 a 2013 enquanto a média nacional foi de 53%.

O aumento da população brasileira, de acordo com os dados apresentados, registrará crescimento médio de 0,5% ao ano e saltará dos atuais 201 milhões de habitantes para 226 milhões em 2034. Ao mesmo tempo a projeção para o PIB é de crescimento médio de 3% ao ano, passando de US$ 2,2 trilhões em 2013 para US$ 4 trilhões em 2034, o que resultará em elevação do PIB per capita de US$ 11,2 mil em 2013 para US$ 17,9 mil em 2034.

A equação composta por mais pessoas e mais renda leva a Anfavea a acreditar que haverá uma importante evolução da taxa de motorização: segundo o estudo esta sairá dos atuais 5,1 habitantes por veículo em 2013 para 2,4 em mais vinte anos.

“Ainda assim nossa taxa de motorização será maior do que países como Coreia do Sul, que atualmente é de 2,3, e Estados Unidos, que é de 1,3 habitantes por veículo. Isso demonstra que há potencial para crescimento por muito anos do mercado brasileiro.”

Caso o cenário se confirme, aponta a pesquisa, o licenciamento de veículos em 2034 chegará à faixa de 7,4 milhões de unidades por ano, o que corresponde a crescimento médio de 3,7% ao ano no período.

Moan conclui que “as previsões justificam o nível de investimento das montadoras no Brasil, comprovam que o mercado vive de ciclos e que o futuro é promissor”.

Para acessar a pesquisa completa clique aqui (a partir do slide 13).