AutoData - Mercedes-Benz se reúne com sindicato para debater demissões no ABCD
news
09/02/2015

Mercedes-Benz se reúne com sindicato para debater demissões no ABCD

Por Michele Loureiro

- 09/02/2015

Acompanhados de seus familiares, os trabalhadores dispensados da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo, SP, realizaram protesto em frente à unidade na manhã de sexta-feira, 9. Um pequeno grupo interrompeu a produção da fábrica por cerca de meia hora em solidariedade aos 160 demitidos.

Depois da manifestação a companhia aceitou retomar as conversas com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC para tratar das dispensas.

Segundo o sindicato as partes se reuniram na tarde da própria sexta-feira, 9, mas sem qualquer acordo e, assim, as demissões foram mantidas. Porta-voz dos representantes dos metalúrgicos afirmou à Agência AutoData que no encontro a montadora apenas reforçou que o cenário atual de queda da indústria levou aos cortes e que todas as medidas possíveis anteriormente foram tomadas.

Já de acordo com porta-voz da Mercedes-Benz as conversas com o sindicato devem continuar, mas a empresa não divulga a pauta de negociação nem tampouco cronograma. Nenhuma reunião está agendada para os próximos dias.

Na Volkswagen Anchieta, também em São Bernardo do Campo, a greve contra oitocentas demissões prosseguiu na sexta-feira, 9, chegando ao quarto dia. Cerca de seis mil veículos já deixaram de ser produzidos na unidade, segundo o sindicato.

Ainda de acordo com os representantes dos metalúrgicos a Volkswagen dará entrada na Justiça do Trabalho, nos próximos dias, com pedido de interdito proibitório – mecanismo que impede a aproximação da mobilização sindical às dependências da fábrica. Procurada, a montadora optou por não comentou o assunto.

Na segunda-feira, 12, o sindicato fará um ato de protesto conjunto contras as demissões. Metalúrgicos de empresas da base do sindicato se encontrarão na fábrica da Volkswagen e se dirigirão até a Rodovia Anchieta em passeata.

Além disso as centrais sindicais se reunirão na sede da Central Única dos Trabalhadores, a CUT, na terça-feira, 13, para debater as recentes demissões e tentar conter novos desligamentos.

Participarão do encontro, além da CUT, a Força Sindical, a União Geral dos Trabalhadores, a Nova Central Sindical de Trabalhadores e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil.