AutoData - Nissan terá motor três cilindros para novo Versa nacional
news
09/02/2015

Nissan terá motor três cilindros para novo Versa nacional

Todo 6 de janeiro Carlos Ghosn, CEO da Nissan e da Aliança com a Renault, traz uma nova notícia para o mundo brasileiro de veículos. No ano passado foi sobre a fábrica de motores que seria instalada em Resende, RJ, e na terça-feira a novidade foi a chegada de motor 1.0 de três cilindros, 77 cv de potência e 10 kgmf de torque tanto com álcool quanto gasolina, para equipar o novo Versa, que deverá ser apresentado até o fim de março.

O investimento foi de cerca de R$ 100 milhões, com a contratação de 25 funcionários.

José Luiz Valls, chairman da Nissan para a América Latina, lembrou que a companhia vive fase de evolução no Brasil, no seu sétimo mês consecutivo de crescimento de vendas, e que a relação veículo versus 1 mil habitantes é muito baixa aqui, 175 contra trezentos na Rússia e quinhentos na Europa – daí a confiança da companhia no potencial do mercado brasileiro:

“Sem dúvida há tudo para crescer, com a nossa ajuda e participação. Aqui, e na América Latina, queremos ser a primeira empresa das japonesas. Temos muito, ainda, a crescer, aqui e em toda a região, temos muitos produtos a serem localizados”.

A participação de mercado da Nissan no Brasol fechou 2014 com 2,2%, e o presidente François Dossa almeja pelo menos 1 ponto porcentual a mais até o fim de 2015 – e chegar muito perto de 5% no fim de 2016.

Ao traçar projeção de resultados para 2015 Ghosn foi cauteloso. Também crê no potencial do mercado brasileiro mas acredita, mesmo, em um ano estável, relativamente parecido com o anterior, na melhor das hipóteses: “Estamos à espera de diretivas, de decisões de governo”.

Mas está muito mais otimista com os resultados que projeta para 2016, quando o governo certamente já terá tomado decisões “para fazer deslanchar a economia e o mercado. É por isto que estamos muito atentos ao movimento das autoridades de governo, levando em conta que mantivemos todos nossos cronogramas e valores de investimento no País”.

Ghosn acredita, também, no crescimento das vendas e da participação – da Nissan e da Aliança – em 2015, em função da recuperação do mercado de veículos nos Estados Unidos, na manutenção de seu crescimento na China e na sua evolução de reação na Europa. Os pontos fracos, por enquanto, são Brasil, Índia e Rússia: “Espero, para este ano, crescimento global nas vendas de pelo menos 2% a 3%”.

O que alicerça sua crença?: “O mercado dos Estados Unidos já superou aquele de antes da crise do Lehman Brothers e o da Europa está abaixo menos de 20%…”.