AutoData - Vendas diretas têm maior volume desde 2010
news
09/02/2015

Vendas diretas têm maior volume desde 2010

Por André Barros

- 09/02/2015

As vendas diretas chegaram muito próximas à marca de 1 milhão de unidades no ano passado. De acordo com levantamento da Agência AutoData, com base nos dados da Fenabrave, as pessoas jurídicas adquiriram 29% dos 3,3 milhões de automóveis e comerciais leves licenciados em 2014, ou cerca de 965 mil unidades.

Não foi, entretanto, o maior volume registrado pela indústria: em 2010, logo após a crise econômica mundial, os licenciamentos de automóveis e comerciais leves para pessoas jurídicas alcançaram 1 milhão 15 mil unidades.

As vendas concedidas a pessoas jurídicas geralmente são concretizadas com grandes descontos, independentemente de o cliente possuir ou não uma frota numerosa.

O volume do ano passado superou em 5,5% o resultado das vendas diretas de 2013, quando 915,4 mil veículos foram emplacados por meio deste modelo de negócio. Em 2012 foram 894 mil emplacamentos para pessoas jurídicas, ou 24,6% do volume daquele ano, quando a indústria bateu seu último recorde de vendas. Em 2011, 957 mil unidades foram licenciadas por esta modalidade.

Mas esse crescimento, tanto em porcentual quanto em volume, não preocupa o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior. O executivo afirmou na terça-feira, 6, que considera normal o nível alcançado em 2014. “Esses 30% estão em um patamar internacional para vendas diretas. O nível não tem se alterado nos últimos quatro anos, se mantendo na faixa das 900 mil unidades.”

No entanto é notável a redução dos licenciamentos no varejo, mais rentáveis aos concessionários. No ano passado os emplacamentos de automóveis e comerciais leves registraram queda de 6,9% na comparação com 2013, somadas pessoas físicas e jurídicas. Para as pessoas físicas, isoladamente, a queda alcançou 11,2%, para 2,3 milhões de unidades.

As vendas diretas, portanto, aliviaram a queda do mercado, que no varejo chegou a dois dígitos. Algumas marcas intensificaram os negócios por este canal para manter suas atividades produtivas em níveis adequados.

No caso da líder geral em vendas, a Fiat, das 700 mil unidades vendidas no ano passado 308 mil foram por meio de vendas diretas, ou 44% do volume total.

Mesmo porcentual registrou a Volkswagen: dos 576,6 mil licenciamentos que lhe deram a terceira posição no ranking, 254,7 mil foram efetivados por venda direta.

Foi alta também a participação da modalidade no resultado da Renault. A marca francesa não mediu esforços para manter a quinta posição do ranking geral, pouco mais de sessenta unidades à frente da Hyundai: 43,1% dos seus 237,2 mil licenciamentos no ano passado foram às pessoas jurídicas – terceira maior participação no ranking de vendas diretas.

No varejo a Renault ficou apenas na sétima posição, superada por, além da Hyundai, Toyota. A líder em vendas ao varejo em 2014 foi a Chevrolet, com 17,9% do bolo, seguida pela Fiat, com 16,8%.