AutoData - Segmento de ônibus rodoviário aposta em regulamentação da ANTT antes do carnaval
news
10/02/2015

Segmento de ônibus rodoviário aposta em regulamentação da ANTT antes do carnaval

Por Viviane Biondo

- 10/02/2015

O segmento de chassis rodoviários espera ansioso receber boa notícia até o fim desta semana, portanto antes do carnaval: a publicação das normas para serviços de ônibus interestaduais pela ANTT, Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Segundo José Antonio Martins, presidente da Fabus, Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus, a regulamentação de aspectos técnicos para as operações de transportes está concluída e deverá destravar as vendas o segmento, com potencial de renovação de frota de mais de oito mil chassis.

“Conversas em Brasília, DF, dão conta de que a oficialização das regras acontecerá ainda na primeira quinzena de fevereiro, possivelmente até esta sexta-feira, 13. A renovação da frota destinada a esses serviços deverá ocorrer em quatro anos, adicionando ao mercado uma média de duas mil unidades/ano.”

O processo da ANTT, que finalmente parece rumar para uma conclusão, arrasta-se há mais de cinco anos. Em junho do ano passado foi publicada emenda à Medida Provisória 638, prevendo que as viações responsáveis pelo transporte de passageiros operem por meio de regime de autorização – o que pôs fim à exigência de licitação em serviços de ônibus interestaduais.

À época, empresários do setor de transporte calcularam que a medida desbloquearia investimentos de R$ 6 bilhões em compras de chassis no período de quatro anos. No entanto essas compras continuaram postergadas à espera da regulamentação técnica dessa autorização, parte mais complexa do novo sistema.

Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da Mercedes-Benz, afirma que se a publicação das regras acontecer de fato ainda neste mês, a iniciativa deverá elevar o mercado de rodoviários em pelo menos 1 mil unidades já neste ano:

“A faixa de chassis rodoviários somou 5 mil 267 unidades em 2014, 2 mil 713 destinados ao fretamento e 2 mil 554 ditos rodoviários puros. Um incremento inicial de 1 mil unidades, com potencial de dois mil ao ano, sem dúvida é otimista ao mercado”.

Para o executivo “a renovação é necessária para reduzir a idade média da frota rodoviária”.