AutoData - Inaugurado o Polo Automotivo Jeep de Goiana, Pernambuco
news
28/05/2015

Inaugurado o Polo Automotivo Jeep de Goiana, Pernambuco

Com a presença da presidenta da República Dilma Rousseff e de vários governadores do Nordeste, além de Sérgio Marchionne, CEO mundial da Fiat Chrysler Automobiles, a FCA, e John Elkann, presidente do conselho do sétimo maior conglomerado automotivo do mundo, foi inaugurada na terça-feira, 28, a unidade fabril de Goiana, Pernambuco. O evento reuniu cerca de dois mil convidados e apenas formalizou o que já aconteceu, de fato, há cerca de dois meses, mais precisamente em 19 de fevereiro: o íniciou de produção do Jeep Renegade, primeiro modelo a sair da linha de montagem.

O complexo, batizado de Polo Automotivo Jeep, ocupa mais de 500 mil metros quadrados de área de construída e, além de fábrica de veículos, abriga dezesseis fornecedores. Tem capacidade produtiva de 250 mil unidades anuais e consumiu  investimentos de R$ 7 bilhões, dos quais R$ 3 bilhões na fábrica Jeep, R$ 2 bilhões no parque de fornecedores e o restante em desenvolvimento de produtos. Contará com cerca de 9 mil funcionários até o fim do ano, 3,3 mil deles na fábrica de veículos e o restante nos fornecedores e serviços comuns.

De mãos dadas a presidenta, juntamente aos executivos e autoridades, acionou simbolicamente as gigantescas prensas, marcando o ato da inauguração. Em seu discurso, enfatizou a importância do complexo industrial para a economia do Estado e da região e o papel do governo federal no financiamento do novo polo – o custo total do projeto, afirmou Dilma, supera os R$ 10 bilhões, incluindo obras de infraestrutura na região, sendo que dois terços deste valor foram financiados pelo BNDES, Banco do Brasil e Banco de Desenvolvimento do Nordeste. 

A presidenta da República aproveitou a solenidade para anunciar que na segunda-feira, 27, foi aprovada a licença prévia ambiental que permitirá ao governo federal, finalmente, abrir licitação para o trecho rodoviário da BR-101 que circundará a região metropolitana de Recife e ligará o Norte do Estado, onde está o polo Jeep, até o porto de Suape, de onde os veículos serão embarcados para mercados internos e exportação.

Até a conclusão da obra, ainda sem data definida, os modelos produzidos pela FCA em Goiana seguirão em cegonheiras por longo trecho urbano, o que dificulda a logística. O transporte das primeiras unidades tem sido feito apenas no período noturno, em função do grande tráfego na região de Olinda, Paulista e Abreu e Lima, municípios da Grande Recife.

A FCA tem mais dois veículos para entrar em produção na nova fábrica até o fim de 2016. Além do SUV compacto, cujas vendas começaram há poucos dias, sairão de Goiana ainda este ano uma inédita picape média Fiat – já vista inclusive rodando nos arredores da fábrica pernambucana durante o evento – e, no ano que vem, outro modelo Jeep. Oficialmente, contudo, a montadora não confirma quais serão os veículos.

“Este foi também o projeto mais complexo já feito na história da companhia, considerando o objetivo de construir não somente uma fábrica de automóveis, mas de incluir em seu perímetro um parque de fornecedores de classe mundial”, afirmou Stefan Ketter, vice-presidente mundial de manufatura da FCA, que coordenou o projeto e a construção do complexo.

O Renegade já sai da linha com índice de nacionalização de mais de 70%. Nos próximos meses, diz a FCA, esse índice de localização deve superar 80%, porcentual que será perseguido também nos demais veículos a serem fabricados em Pernambuco. Apenas os fornecedores internos ao perímetro da fábrica já fornecem cerca de  40% dos conteúdos. Os demais têm origem em São Paulo, Minas Gerais e outros Estados – os investimentos no parque de fornecedores foram compartilhados com a FCA. A empresa investiu R$ 1 bilhão em obras civis e utilidades e os fornecedores mais R$ 1 bilhão em equipamentos.