Mercedes-Benz faz megavenda para a Raízen...

Por Márcio Stéfani

- 02/06/2017

A Mercedes-Benz anunciou na quinta-feira, 25, em São Bernardo do Campo, SP, a venda de 524 caminhões para operações fora-de-estrada da Raízen, principal fabricante de etanol do Brasil e, também, maior exportadora individual de açúcar derivado de cana-de-açúcar do mundo. A operação foi considerada a maior venda da montadora realizada no Brasil ao longo dos últimos nove anos, ou seja, desde 2008.

Os caminhões foram adquiridos por um pool de oito empresas que hoje centralizam as operações de transporte da usineira. Dessas 524 unidades 238 são do modelo extrapesado Axor 3344S 6x4 e 286 unidades do modelo semipesado Atego 2730, também 6x4. Segundo a Mercedes-Benz a maior parte da venda utilizou recursos de financiamento do Finame, mas a operação envolveu também outros tipos de operações, como leasing operacional e locação. As entregas começaram em abril e continuarão até setembro.

Para Roberto Leoncini, vice-presidente de vendas, marketing e peças e serviços para caminhões e ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, esta venda expressiva é importante porque representa o resultado do ótimo relacionamento que a fabricante tem com a Raízen: “Neste caso específico desenvolvemos e aprimoramos várias soluções destinadas para o transporte canavieiro. A opção pelos nossos caminhões mostra que o caminho de trabalharmos junto aos clientes está correto”.

Leoncini afirmou que a Mercedes-Benz continua acreditando que o mercado brasileiro de caminhões deverá iniciar processo de recuperação de vendas este ano, mesmo com a nova crise política desde a semana passada: “Ainda não tivemos nenhum reflexo nas negociações que estamos tendo com os nossos clientes. Até agora ninguém nos procurou para cancelar contrato ou pedir adiamento. É lógico que tudo pode mudar na semana que vem ou no início de junho, mas hoje continuo apostando em crescimento das vendas no mercado brasileiro de 6% a 10% com relação ao ano passado”.

O executivo contou que boa parte das consultas que já estão sendo feitas parte, principalmente, das grandes transportadoras: “São empresas que estão acostumadas a calcular seus custos e sabem que precisam começar a renovar suas frotas neste momento. Quando falamos de 6% a 10% de crescimento sobre o ano passado estamos falando de 3 a 4 mil unidades, porque a base de comparação é muito pequena”.

Ainda segundo Leoncini a companhia também está conseguindo melhorar o resultado das exportações neste início de ano: “Nossas exportações estão crescendo 24% em caminhões e 18% em ônibus. Este resultado, somado às vendas importantes como esta que conseguimos realizar com a Raízen, ajuda a manter nossa fábrica com ocupação média de 55%”.

Hoje a capacidade de produção da Mercedes-Benz no Brasil é de 80 mil unidades/ano, caminhões e ônibus.