Renave enfim em setembro, promete Denatran

Imagem ilustrativa da notícia: Renave enfim em setembro, promete Denatran

O Renave, Registro Nacional de Veículos em Estoque, deverá entrar em operação em setembro, de acordo com o Denatran, Departamento Nacional de Trânsito. O sistema está em fase final de desenvolvimento, com testes realizados em concessionárias de Aracaju, SE, e Fortaleza, CE, para os últimos ajustes referentes aos fluxos e funcionalidades dos veículos.

 

Por meio de um sistema eletrônico o Renave permitirá o registro da entrada e da saída dos veículos novos e usados nos estoques de concessionárias e de lojas multimarcas. Ao fazer a compra ou a venda do veículo a loja emitirá a nota fiscal eletrônica. Toda a transação, que hoje é feita em papel, será realizada de forma eletrônica. Isso trará mais segurança ao negócio, proporcionando uma maior garantia na legitimidade do emplacamento de veículos e simplificando os procedimentos burocráticos.

 

De acordo com Carlos Magno da Silva Oliveira, coordenador geral de planejamento operacional do Denatran, o Renave trará benefícios para os concessionários e para as lojas multimarcas: “Os estabelecimentos poderão realizar consultas a bancos de dados do Denatran para conhecer as características do veículo antes do fechar o negócio. O registro do veículo no estoque da empresa pode ser uma forma de obter empréstimos para financiamento do capital de giro com taxas mais atrativas”.

 

Aumento das vendas – A nota fiscal eletrônica diminuirá a informalidade nas revendas, que hoje chega a 85%, de acordo com Elis Siqueira, coordenador da área de informações da Fenauto, Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (foto): “Apenas 20% da compra e venda de veículos usados fazem a transferência formal para as lojas. Por causa da burocracia e das despesas o lojista transfere diretamente a posse do veículo do nome do vendedor para o do comprador, como se não houvesse a sua intermediação. Mas se ocorrer algum problema durante o processo o lojista terá que arcar com os gastos”.

 

Segundo ele as despesas com a transferência do veículo podem chegar a R$ 1,2 mil, envolvendo custos com vistoria, emissão de documentos autenticados em cartório e taxas do Detran. Já o tempo de transferência depende do Estado e pode ser de até 21 dias, como ocorre no Rio Grande do Sul: “Acredito que o Renave aumentará as vendas das revendas independentes. Ao reduzir as despesas e o tempo do processo de transferência é possível reduzir o preço do veículo para o consumidor. Todos acabam ganhando”.

 

Crédito da Foto: Divulgação