Produção de veículos na Argentina recua 15% em junho

Imagem ilustrativa da notícia: Produção de veículos na Argentina recua 15% em junho

São Paulo – Junho representou um duro golpe na produção e nas vendas de veículos na Argentina. A valorização do câmbio ante a moeda local e a situação dos caminhoneiros no Brasil, seu principal sócio regional no mercado automotivo, redundaram em menor volume saindo das linhas instaladas no país.

 

No mês, segundo dados da Adefa divulgados na quinta-feira, 5, foram produzidos 39,4 mil veículos, o que significa um volume 15,8% menor do que o de maio e 13,4% a menos do que o registrado em junho do ano passado.

 

Embora tenha reduzido o ritmo do crescimento, que até então flutuava na casa das quarenta mil unidades/mês, o décrescimo de junho foi insuficiente para apontar para baixo a produção semestral.

 

O levantamento da associação mostrou que foram produzidos 242 mil 655 veículos até junho, volume que representa crescimento de 10% ante o fabricado em igual período no ano passado, quando saíram das fábricas argentinas 220 mil 654 unidades.

 

Por segmento, foram produzidos 19 mil 78 automóveis no país, queda de 5,7% na comparação com junho do ano passado. No acumulado do ano, 124 mil 840 mil unidades, 29,6% a mais do que no primeiro semestre de 2017.

 

Nos utilitários, segmento onde a indústria argentina tem forte vocação, cenário negativo tanto no comparativo mensal quanto no semestral. Em junho foram produzidos 20 mil 342 unidades de picapes, vans e furgões, 19,5% menos do que em junho do ano passado. No semestre, 117 mil 815 unidades, queda de 5,2%.

 

Exportações. No mercado externo os volumes de embarques de veículos argentinos manteve o crescimento em junho. Foram exportadas, no mês, 22 mil 894 unidades, 16,2% mais do que em junho de 2017. No acumulado do ano, 121,5 mil unidades, crescimento de 23,5%.

 

As exportações ao Brasil, no semestre, representaram 70,3% dos embarques de veículos argentinos. Rumo ao mercado nacional, até junho, foram 85,4 mil veículos, 24,4 mil a mais do que nos primeiros seis meses do ano passado.

 

Países da América Central, Chile, Peru e Colômbia, em ordem de participação, fecham o grupo dos cinco principais destinos dos veículos produzidos naquele país.

 

Foto: Divulgação.