Profissionalismo puxa pelo crescimento de vendas dos extrapesados

Antonio Cammarosano, diretor de vendas nacional de caminhões da MAN, acredita que um dos fatores para o segmento extrapesado ter crescido nos últimos anos, e se tornando o carro-chefe das vendas de veículos comerciais, "foi a profissionalização das empresas ligadas ao segmento, como as usinas que cresceram e profissionalizaram seus negócios, e a consolidação de suas logísticas. Os empresários não querem mais aqueles caminhões velhos: preferem rodar com novos, pelo custo de manutenção, logística e de tempo parado”.

 

Em 2006 as vendas de caminhões extrapesados somaram 19 mil 408 unidades e, no ano seguinte, houve aumento considerável, para 28 mil 299, de acordo com dados da Anfavea. Em 2010 foram 51 mil 893 unidades, sendo a primeira vez que o segmento ultrapassou as 50 mil vendidas em um ano.

 

De 2015 a 2017 o Brasil sofreu com crises política e econômica, afetando diretamente as vendas de caminhões e encerrando a onda de crescimento.