Fras-le avança no terceiro trimestre

Imagem ilustrativa da notícia: Fras-le avança no terceiro trimestre

Após um terceiro trimestre com volume de vendas de materiais de fricção com alta de 14,1% em todos os mercados e segmentos, e apesar dos impactos negativos da oscilação do dólar, a Fras-le alcançou receita líquida consolidada de R$ 218,9 milhões. Foi desempenho superior aos trimestres anteriores e 11,4% maior do que o de mesmo período do ano passado. A receita líquida em nove meses chegou a R$ 611,3 milhões.

 

O volume vendido de material de fricção nos nove primeiros meses do ano chegou a 65,2 milhões de unidades, crescimento de 7,5% na comparação com igual período de 2016. Já o grupo de produtos relacionados a freios, como cilindros mestre, de roda e de embreagem, e servo freio, destaca-se com evolução próxima a 50% no período.

 

As exportações da companhia a partir do Brasil cresceram no terceiro trimestre e somaram US$ 20 milhões. No acumulado do ano, no entanto, registraram queda de 15,3% devido, segundo a empresa, a problemas conjunturais em mercados como África e Europa e aos níveis elevados de estoque nos Estados Unidos. Sérgio de Carvalho, diretor presidente e de relações com investidores da Fras-le e COO da Randon, revela que mais de 50% das receitas da companhia advêm de mercados fora do Brasil. Melhoraram no ranking de vendas México, Oceania, Oriente Médio e alguns países na América do Sul.

 

Carvalho disse que “continuamos caminhando a passos largos no mercado internacional”. A empresa tem unidades nos Estados Unidos e na Ásia e armazéns de estoque na Argentina e na Alemanha. A rede internacional da Fras-le crescerá em novembro com a inauguração de uma nova planta na China e de uma operação comercial na Colômbia.

 

O Ebtida – O lucro da Fras-le antes de juros, impostos, depreciação e amortização no terceiro trimestre foi de R$ 29,2 milhões, 13,6% menor do que o obtido no trimestre anterior. A queda, segundo a Fras-le, “reflete efeitos do menor nível de receitas e lucro bruto decorrente, principalmente, de política cambial sobre exportações”. O índice, no entanto, foi 24,4% superior ao do terceiro trimestre do ano passado.

 

O lucro líquido consolidado do terceiro trimestre somou R$ 15,9 milhões, 29,6% inferior ao do mesmo período do ano passado. Já no acumulado de janeiro a setembro o lucro líquido consolidado somou R$ 53,7 milhões, crescimento de 0,6% comparado aos nove primeiros meses de 2016. No período acumulado o lucro líquido conta com efeito do benefício fiscal de R$ 9 milhões, pelo pagamento de juros sobre capital.

 

Foto: Divulgação