Produção de motocicletas avança 12% no bimestre

São Paulo – A produção de motocicletas no Polo Industrial de Manaus cresceu 12,3% no primeiro bimestre, somando 185,2 mil unidades, de acordo com dados divulgados pela Abraciclo, entidade que representa o setor de duas rodas, na sexta-feira, 15.

 

Em fevereiro saíram das linhas de montagem 101,2 mil motocicletas, volume 21% superior ao do mesmo mês de 2018 e 20,5% maior do que o de janeiro.

 

Os consumidores brasileiros adquiriram no bimestre 174,9 mil motocicletas novas, 25% acima do registrado em janeiro e fevereiro de 2018. No mês passado foram 84,2 mil motocicletas, avanço de 33,6% sobre fevereiro do ano passado, e 7,2% inferior a janeiro. Foram licenciadas, em média, 4,2 mil motocicletas por dia útil em fevereiro – 2,1% a mais do que em janeiro e 20,2% a mais do que em fevereiro do ano passado.

 

“Foi o melhor mês de fevereiro desde 2015, que teve média de 5,2 mil unidades emplacadas em dezoito dias úteis”, disse, em nota, Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo. “Isso nos deixa bastante otimistas com relação à expectativa de fechar 2019 com a produção de 1 milhão 80 mil unidades”.

 

Para o presidente os bons resultados do bimestre reforçam a retomada do crescimento do segmento de duas rodas: “Hoje o consumidor sente-se mais seguro em investir na compra de um bem de maior valor agregado. Essa confiança está baseada num cenário econômico mais favorável, marcado pela redução nas taxas de juros e dos índices de inflação”.

 

As exportações sofrem, ainda, com a situação econômica da Argentina, importante cliente do setor de duas rodas de Manaus, AM. Em fevereiro os embarques somaram 3 mil 287 unidades, queda de 55,4% com relação ao mesmo mês de 2018 e de 28,1% na comparação com janeiro. No bimestre as exportações acumulam 7,9 mil motocicletas, recuo de 49,5% com relação aos primeiros dois meses do ano passado.

 

Os Estados Unidos tomaram a dianteira como destino dessas exportações, representando 31,4% dos total. Em seguida avem Argentina, com 22,8% do total, e Austrália, com 10%.

 

Foto: Divulgação.