Ford: utilitários serão 90% da oferta na América do Norte

Imagem ilustrativa da notícia: Ford: utilitários serão 90% da oferta na América do Norte

Os principais executivos da Ford se reuniram na quinta-feira, 10, na sede da companhia em Dearborn, nos Estados Unidos, para tratar de assuntos financeiros com acionistas da companhia e também esclarecer a estrategia de descontinuar a produção de todos os sedãs norte-americanos.

 

O CEO Jim Hackett, e o presidente executivo Bill Ford, reforçaram, segundo a agência de notícias Reuters, que a empresa deixa de fabricar os modelos Fiesta, Fusion, Taurus e uma variante do Focus no mercado estadunidense, nos próximos anos, para que a fabricante se concentre naquilo que avaliam ser o desejo de seu cliente:

 

Disse Hackett: "Isso não significa que pretendemos perder esses clientes. Queremos dar a eles o que eles estão nos dizendo que realmente querem. Estamos simplesmente reinventando o carro americano". A empresa anunciou recentemente que se concentrará sua produção em modelos SUV, crossovers e picapes, que possuem maior margem de lucro.

 

Os executivos contaram que os modelos comerciais leves representarão cerca de 90% de seu mix de vendas na América do Norte até 2020. Somente o carro esportivo Mustang e o próximo Focus Active Wagon permanecerão na carteira de automóveis.

 

A empresa, entretanto, revelou que continuará a adicionar modelos que possam competir em diversas categorias: "Não queremos que ninguém pense que estamos deixando nada. Estamos apenas mudando para uma versão moderna. Estamos entusiasmados com a nova geração de veículos que virá".

 

Está nos planos da empresa, segundo os executivos, cortar custos e tornar a operação mais enxuta. A expectativa é a de que nos próximos anos sejam cortados US$ 25 bilhões em custos até 2022.

 

A reunião com acionistas ocorrida na quinta-feira foi a primeira desde que Hackett assumiu a presidência da companhia, em maio passado. Bill Ford elogiou o executivo pelo seu primeiro ano no cargo: “Acredito que Jim é a pessoa certa para nos liderar durante esse período de transformação na indústria automobilística”.

 

Foto: Divulgação.