Governo compra R$ 980 milhões em ônibus escolares

Imagem ilustrativa da notícia: Governo compra R$ 980 milhões em ônibus escolares

São Paulo – A demanda do último edital do programa federal Caminho da Escola,  5 mil micro-ônibus, injetará nas fabricantes que venceram o leilão, Mercedes-Benz e MAN, R$ 981,2 milhões com a compra de chassis e carroçarias. O volume, que representa um dos principais pedidos para as empresas fabricantes este ano, deve ajudá-las a manter o crescimento das vendas na comparação com 2017.

 

Do total de ônibus adquiridos pelo governo a maior parte será da MAN, que fornecerá 3,4 mil unidades. Serão 1,6 mil microônibus da categoria ORE 1, veículo de pequeno porte que transporta até 23 passageiros, outros 1,6 mil da categoria ORE 2, com capacidade para 31 até passageiros, e duzentas unidades de chassis com piso baixo. Já o pacote de ônibus Mercedes-Benz contém 1,6 mil unidades, todas da categoria ORE 2.

 

A Iveco, fornecedora para o Caminho da Escola em outras licitações, ficou de fora desta última, divulgada pelo governo em abril. Desde 2009, quando foi criado o programa de mobilidade, a empresa já entregou 8,4 mil veículos, sendo 1,5 mil desde 2015, quando a empresa criou a unidade de negócio Iveco Bus no País.

 

O segmento de ônibus tenta recuperar vendas no mercado interno por meio de pedidos do poder público. Afora as licitações municipais de ônibus urbanos, como aquela publicada pela Prefeitura de São Paulo recentemente, o Caminho da Escola representa importante demanda em termos de volume e receita.

 

Em 2017 os emplacamentos de ônibus no mercado nacional constituíram volume de 11,7 mil unidades, crescimento de 5,3% ante o desempenho de 2016, o pior ano em termos de vendas dos últimos cinco. Foi justamente a partir de 2013, quando o setor vendeu 32,8 mil unidades, que a quantidade de emplacamentos feitos aqui começaram a despencar, chegando no ano passado a ser um terço do que fora há cinco anos.

 

Até maio o setor vendeu 4 mil 664 unidades, o que corresponde a um volume 28% maior do que o registrado nos cinco primeiros meses do ano passado. O setor espera que o desempenho de vendas do ano seja melhor que o de 2017 em função das licitações que ocorrem no primeiro semestre.

 

Os volumes vendidos produzem reflexos também no desempenho comercial das encarroçadoras. Até abril as empresas produziram 5 mil 431 ônibus, um volume maior do que os 3 mil 554 fabricados no primeiro quadrimestre do ano passado para acompanhar o crescimento da demanda. A Marcopolo, por exemplo, fornecerá duzentas unidades para os chassis de piso baixo da MAN no Caminho da Escola.

 

Foto: Divulgação.