Linha Ka 2019 ganha câmbio automático e novo motor

Imagem ilustrativa da notícia: Linha Ka 2019 ganha câmbio automático e novo motor
CompartilheLançamento
24/07/2018

Gramado, RS –  Terceiro modelo mais vendido no mercado brasileiro no primeiro semestre – 48,2 mil unidades, quando somadas as carrocerias hatch e sedã – o Ford Ka completa 21 anos de existência com novidades buscadas nas prateleiras de cima do portfólio da marca. Destas chama mais a atenção a opção de câmbio automático em toda a gama com motor 1.5, este agora herdado do EcoSport, com seus três cilindros.

 

O objetivo da Ford é claro: embora não fale em números quer buscar consumidores que, hoje, optam pelo Chevrolet Onix e pelo Hyundai HB20, os dois líderes de mercado que já oferecem a transmissão automática. Especialmente na versão sedã, como contou a gerente de produto Adriana Carradori: “Em torno de 70% do nosso mix é da carroceria hatch, com o restante sedã. Ao oferecer a opção do câmbio automático esperamos aumentar essa porcentagem dos sedãs”.

 

Importada do México a transmissão 6F15 fazia parte da linha Ka desde o lançamento da versão Freestyle, chamado pela marca de CUV, por juntar atributos de um SUV a um modelo compacto. Agora o câmbio equipará também o carro de entrada da Ford, embora, neste momento, apenas combinado ao motor 1.5. O 1,5 litro Sigma deu lugar ao Ti-VCT de três cilindros, que alcança 136 cavalos com etanol. Assim como a transmissão o motor é usado também no EcoSport, que cede também ao Ka o sistema multimídia Sync 3 e até o sistema de partida sem chave, disponível na versão Titanium, topo de linha.

 

O compacto foi reforçado em sua estrutura, que ganhou ligas especiais de aço. Durante a apresentação à imprensa na terça-feira, 24, em Gramado, RS, a Ford deixou claro seu objetivo com a medida: melhorar a nota no Latin NCap, que em outubro passado deu zero estrela exatamente para o Ka.

 

Com o reposicionamento de portfólio, acréscimo de equipamentos e melhorias estruturais a versão de entrada, hatch S 1.0 com câmbio manual, ficou R$ 710 mais cara, conforme antecipou a Agência AutoData. Agora parte de R$ 45 mil 490 na cor vermelha – se o cliente quiser outra cor, incluindo a branca, terá que desembolsar no mínimo R$ 500 a mais.

 

Para ter a transmissão automática o cliente deverá escolher a versão 1.5 SE, por R$ 56 mil 490. Os preços dos sedãs variam de R$ 49 mil 490 a R$ 70 mil 990, na Titanium.

 

A Ford não revela sua expectativa de crescimento no volume de licenciamentos com a linha 2019, tampouco o mix de suas versões, S, SE, SE Plus, SEL, Freestyle e Titanium. Mas dá uma dica: quer, ao menos, acompanhar o desempenho da concorrência em ambos os casos.

 

Foto: Divulgação.