Conceito Fastback traz linhas dos futuros Fiat

Imagem ilustrativa da notícia: Conceito Fastback traz linhas dos futuros Fiat
CompartilheSalão do Automóvel
06/11/2018

São Paulo – Dos quinze lançamentos prometidos pela Fiat no mercado latino-americano até 2023 três serão SUVS – ou UVs, como prefere chamá-los o seu presidente, Antonio Filosa: para ele SUVs são modelos da outra marca da FCA, a Jeep. Um pouco dos traços desses futuros modelos está no conceito Fastback, a principal atração FCA no Salão do Automóvel 2018, que abre as portas na quinta-feira, 8, no São Paulo Expo.

 

De porte grande o Fiat Fastback é o oitavo carro-conceito desenvolvido pela FCA e tem ampla participação das equipes de design e engenharia da FCA América Latina. Filosa disse que, assim como a Toro – que também debutou como conceito há dois salões – é possível que um modelo seja produzido a partir deste conceito. Mas, mais importante do que isso, são os traços de design que nortearão seus futuros modelos.

 

Anunciado em junho o plano de investimento de R$ 15 bilhões da FCA para a região até em 2023 começa a sair do papel. Cerca de R$ 7 bilhões serão aplicados na Fiat e outros R$ 7 bilhões na Jeep – o outro R$ 1 bilhão, dedicado a powertrain e tecnologias de infotainment, serão aproveitados pelas duas marcas.

 

Em Betim, MG, o investimento já foi oficialmente anunciado. Para Goiana, PE, onde pretende atrair 38 fornecedores para uma área de 11 milhões de m² próxima à fábrica, Filosa aguarda o anúncio oficial do Rota 2030 – que, se tudo correr conforme o esperado pela indústria e o governo, será feito pelo presidente da República na abertura do Salão na quinta-feira, 8.

 

“Queremos ajudar a desenvolver a região da fábrica de Goiana. Não só Pernambuco mas também a Paraíba e outros estados do Nordeste. Esses fornecedores gerarão em torno de 8 mil empregos, diretos e indiretos”, disse Filosa. “Faremos investimentos na área social também. Temos dados que mostram que desde a inauguração da fábrica da Jeep os índices de criminalidade de Goiana reduziram.”

 

A atração de fornecedores não é uma novidade. Filosa lembra que ele era o responsável pela área de compras quando a fábrica pernambucana foi anunciada -- e a localização de fornecedores na região era uma das premissas: “Existe uma lacuna logística de 20% na fábrica, comparada com unidades de outras regiões. Para reduzir esta diferença precisamos atrair fornecedores para perto”.

 

O executivo manteve sua perspectiva otimista para 2019, para quando acredita em um mercado de 2,7 milhões de automóveis e comerciais leves – ante 2,5 milhões até o fechamento deste ano. A escolha do novo presidente ajudou a clarear o horizonte e, em sua opinião, os primeiros sinais indicam manutenção da recuperação econômica: “O Ibovespa alcançou sua maior marca e a volatilidade do câmbio foi reduzida. Todos os indicadores se mantiveram positivos e ajudam a reafirmar o meu otimismo”.

 

Foto: Divulgação.