Volkswagen conecta T-Cross ao smartphone

Imagem ilustrativa da notícia: Volkswagen conecta T-Cross ao smartphone
CompartilheLançamento
19/02/2019

São José dos Pinhais, PR – Em busca da geração de consumidores vidrados em smartphones a Volkswagen inaugurou, com o T-Cross, a era dos carros conectados. Segundo seu presidente Pablo Di Si o SUV, cujas versões e preços foram revelados na terça-feira, 19, “é o primeiro carro conectado da América do Sul”.

 

O que permite essa integração com os aparelhos móveis é o aplicativo VW Connect, disponível gratuitamente nas lojas de aplicativo Apple e Android. Além de possibilitar ao proprietário monitorar informações como nível do tanque de combustível, calibração dos pneus, quilometragem e detectar falhas mecânicas, permite transformar a condução em um tipo de videogame, com os desafios.

 

Não é nenhuma novidade para usuários de smartphone, que se divertem colecionando pontos em aplicativos como Waze, Swarm e inflam seus egos com curtidas no Instagram e Facebook. A mecânica é a mesma: somam-se pontos por meio de distância percorrida, condução a locais pré-determinados e eficiência na direção, com consequente redução de consumo.

 

O aplicativo será, gradativamente, expandido para a gama – sobretudo aos lançamentos seguintes. Por enquanto a aposta está no modelo considerado pelo presidente da VW América do Sul “um divisor de águas para a companhia na região”. O T-Cross é o segundo SUV da ofensiva de cinco modelos do segmento que a companhia pretende colocar no mercado brasileiro até 2020. O primeiro foi o Tiguan Allspace e o próximo será o Tarek, produzido na Argentina. Dos vinte lançamentos programados pela VW o T-Cross é o décimo-segundo.

 

O SUV oferece tecnologias ainda inéditas no segmento, como o sistema de estacionamento autônomo que funciona em vagas paralelas e perpendiculares e a segunda geração do start-stop. Além, é claro, dos sistemas de infotainment, manual cognitivo e outros mimos como teto panorâmico e sistema de som potente.

 

Como itens de segurança oferece o ESP e seis airbags de série. Toda a gama vem com motor TSI – 1.0 ou 1.4, que alcançam 128 e 150 cavalos, respectivamente – e há a opção de transmissão automática ou manual.

 

Os primeiros sinais foram positivos. Oitocentas unidades entraram no processo de pré-venda no site da companhia, e em menos de uma hora 131 consumidores demonstraram interesse em receber o T-Cross em primeira mão. Estes terão seus carros no começo do mês que vem.

 

A rede de concessionários começa a faturar os SUVs no fim de março, com as primeiras entregas ocorrendo provavelmente em abril.

 

São quatro versões: 200 TSI, por R$ 84 mil 990, 200 TSI AT, R$ 94 mil 490, 200 TSI Comfortline, R$ 99 mil 990, e 250 TSI Highline, R$ 109 mil 990. Há pacotes opcionais em todas elas, que podem trazer a carroceria em preto, branco, prata, cinza, azul, vermelho, bronze ou laranja.

 

Di Si não revelou números de vendas. Disse, apenas, que a missão do T-Cross é ser um dos dois SUVs compactos mais vendidos do mercado brasileiro. No ano passado o líder do segmento, Hyundai Creta, teve cerca de 50 mil unidades emplacadas.

 

Foto: Divulgação.