VWCO projeta vendas mensais maiores do Delivery Express

Imagem ilustrativa da notícia: VWCO projeta vendas mensais maiores do Delivery Express

São Paulo – Vender 689 unidades do Delivery Express, volume que deu 28% de participação e a liderança do segmento semileve não foi o suficiente para Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas, marketing e pós-vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus. O executivo tem como objetivo elevar o volume mensal de vendas ao longo do ano.

 

Segundo Alouche a projeção para o ano é conquistar 35% de participação, com mais de 3 mil Delivery Express entregues ao mercado – superará a média mensal atual, de 250 unidades, alcançando 300 veículos por mês. “Usamos como base os números da Anfavea, que projeta alta de pelo menos 15% para o mercado de caminhões, e queremos aproveitar essa expansão para aumentar as vendas do Delivery Express”.

 

O executivo ressaltou que a liderança que a empresa busca é nas vendas de veículos semileves chassi-cabine, excluindo as vans de passageiros e os furgões, considerados por ele como outra categoria. Mesmo em busca do primeiro lugar, Alouche deixou claro que a empresa não entrará em guerra de preço para conquistar novos contratos de vendas:

 

“Os custos de produção cresceram durante a crise e o preço dos caminhões não acompanhou esta alta. Por isto não reduziremos nossas margens para conquistar novos clientes: comprovaremos para os possíveis compradores que temos a melhor opção do mercado, independente do preço”.

 

Os principais concorrentes do Delivery Express são o Iveco Daily e o Mercedes-Benz Sprinter, mas o veículo também concorre com Hyundai HR e Kia Bongo.

 

Os principais compradores são pequenos empresários com frotas pequenas, de uma a cinco unidades, que atuam em segmentos como jardinagem e comércio e usam o caminhão para transportar seus produtos e ferramentas de trabalho: “São empresários que, no passado, usavam picapes para fazer esse serviço e agora, com o aumento da demanda e da profissionalização de seus negócios, optam pelo nosso veículo.”

 

O outro perfil de compradores é o de empresas grandes, como a Panco, que usa o veículo sem restrições para fazer entregas nos centros urbanos.

 

Para Alouche o caminhão se destaca no mercado pela dirigibilidade, muito parecida com a de um automóvel, pelo fato de o motorista com carteira de habilitação B poder pilotar, pela capacidade de carga, que é das maiores do segmento, e pelo conforto da cabine.

 

Foto: Divulgação.