Bosch conquista contratos de exportação

Imagem ilustrativa da notícia: Bosch conquista contratos de exportação

São Paulo – A Bosch espera manter a força das exportações a partir do Brasil este ano, repetindo o crescimento de 30% visto desde 2017. À época, os embarques representaram 28% da receita de R$ 4,9 bilhões registrada, e a tendência para 2019 é a de que o quadro se mantenha, segundo Delfim Calixto, vice-presidente da divisão de reposição automotiva para América Latina.

 

O executivo disse na quarta-feira, 24, durante a Automec 2019, que sustentam as exportações da Bosch um acréscimo de volume originado na conquista de contratos intercompany pela operação brasileira. Estados Unidos e Alemanha são os destinos de componentes da linha de injeção. Para Calixto, os embarques são relevantes no contexto da abertura do mercado ao qual o Brasil está submetido no momento:

 

“A abertura do mercado tem pontos positivos e negativos. O positivo é que leva a indústria nacional a elevar o nível de qualidade da produção, como aconteceu com o setor automotivo no início da década de 1990. No nosso caso, competimos com fábricas de países desenvolvidos e isso mostra que estamos um nível acima”.

 

Com relação ao mercado interno de reposição, tema da feira onde esteve presente o executivo, a Bosch planeja um crescimento de 9,3% no volume de vendas na América Latina, com os pedidos de frotistas de caminhões ligados ao agronegócio como principais demandantes:

 

“Nos últimos anos vimos uma reação nas vendas na linha pesada, como bombas de combustível e também na injeção diesel. A reposição está crescendo neste mercado porque muitos clientes estão reformando suas frotas para poder entregar os produtos da safra agrícola”.

 

A reposição representa atualmente 20% das vendas totais da Bosch no País. O mix, segundo Calixto, é composto por parcela importantes de itens importados, ainda que a maioria seja de componentes nacionais.

 

Foto: Divulgação.