Com Tector, Iveco volta a competir no segmento médio

Imagem ilustrativa da notícia: Com Tector, Iveco volta a competir no segmento médio
CompartilheLançamento
18/06/2019

Campinas, SP – Ao apresentar os modelos Tector 9.190 e 11.190 na terça-feira, 18, em Campinas, SP, a Iveco anunciou ter retornado ao segmento de caminhões médios – que, nas suas contas, parte das 8 toneladas de PBT. Pretende ainda este ano conquistar 10% das vendas desta faixa de mercado, ou 1,8 mil unidades, segundo seu vice-presidente Marco Borba.

 

Para o desenvolvimento dos modelos a Iveco investiu R$ 40 milhões. “Esse valor faz parte do aporte de R$ 120 milhões que foi anunciado em 2017 para o Brasil".

 

Pela classificação da Anfavea, porém, o segmento médio parte das 10 toneladas – então compete com um modelo, o 11.190. De toda forma, retornou a essa faixa de mercado após alguns anos ausente, com os caminhões que chegarão às concessionárias nas próximas semanas por R$ 155 mil e R$ 165 mil.

 

Ricardo Barion, diretor de vendas e marketing da Iveco no Brasil, calcula que 60% do público-alvo do segmento médio atua como autônomos. A empresa consultou muitos clientes para entender quais eram suas demandas para desenvolver um caminhão que atendesse às necessidades:

 

“O desenvolvimento desse veículo focou em alguns pilares como conforto, por causa da longa jornada de trabalho, segurança, robustez, amplo espaço interno da cabine e motor econômico, mas que entregasse a potência esperada pelos compradores”.

 

Os engenheiros da Iveco foram às ruas para entender as necessidades dos motoristas, acompanhando sua rotina em dias típicos de trabalho para conseguir desenvolver produto com as características esperadas. A expectativa da Iveco é que os compradores do Tector, independentemente da versão, sejam empresas e motoristas autônomos que atuem em áreas como agricultura familiar, atacadistas, supermercados, comércios, frigoríficos e outros serviços.

 

As duas versões do Tector saem das linhas de Sete Lagoas, MG, e são equipadas com motor FPT 4.5 de 190 cv de potência – o mais potente da categoria, segundo a Iveco. Os modelos concorrem com o Delivery, da VWCO, e o Accelo, da Mercedes-Benz.

 

Marco Rangel, presidente da FPT para América Latina, disse que o motor também é mais econômico: “Esse motor aplicado no Tector apresentou consumo de 5,7 quilômetros por litro, sendo de 4% a 7% mais econômico que os dois principais concorrentes”.

 

O câmbio do Tector é manual de seis marchas, fornecido pela Eaton. A empresa já estuda o lançamento de uma versão com câmbio automatizado: “Como a transmissão já é de seis marchas, mesmo sendo manual, isso ajudará no processo de automatização do caminhão”.

 

Foto: Divulgação.