Demanda por vans surpreende a Mercedes-Benz

Imagem ilustrativa da notícia: Demanda por vans surpreende a Mercedes-Benz

São Bernardo do Campo, SP – O desempenho nas vans com PBT de 3,5 a 5 toneladas no primeiro semestre surpreendeu a Mercedes-Benz, que, embora projetasse elevação nas vendas, acreditava em volumes mais modestos. Segundo a companhia o mercado brasileiro absorveu 15 ml 542 vans de janeiro a junho, volume 77% superior ao do mesmo período de 2018.

 

Com esses números em mãos Jefferson Ferrarez, diretor de vendas e marketing de vans, revisou a projeção de vendas para o ano: “Em janeiro a nossa expectativa era a de vendas de 26 a 28 mil unidades. Agora, projetamos 30 mil licenciamentos no ano”, disse o executivo – um aumento de 30% sobre o ano passado.

 

A Mercedes-Benz compete no segmento com a linha Sprinter. No semestre registrou 5 mil 419 unidades comercializadas, alta de 66,4% sobre os primeiros seis meses de 2018. Segundo Ferrarez o objetivo é chegar a 10 mil unidades, um terço do mercado e a liderança do segmento, com crescimento de 20,4% sobre o ano passado.

 

Imagem ilustrativa da notícia: Demanda por vans surpreende a Mercedes-Benz

 

O executivo afirmou que o maior consumo de vans não significa expansão de frota das empresas, mas sim uma renovação que ficou represada nos últimos anos por causa da crise econômica que o País enfrentava. Em 2019 a confiança dos empresários está voltando, as taxas de financiamento estão melhores e os juros e a inflação estão controlados. Os setores de turismo, fretamento e escolar estão puxando o crescimento, de acordo com Ferrarez.

 

A linha Sprinter é comercializada em três configurações: passageiro, que representa 50% das vendas, furgão, 35%, e chassi, 15%, com sessenta versões. A versão mais procurada na configuração para passageiros é a que oferece 15 lugares, já na configuração furgão as versões com 10m³ e 14m³ são as mais vendidas e, na opção chassi, a Street com PBT de 3,5T é a preferida dos consumidores.

 

A linha Sprinter vendida no Brasil é produzida na fábrica da companhia na Argentina, que está operando em um turno cheio, com 85% da produção dedicada ao País. Até o final do ano a Mercedes-Benz deverá apresentar uma nova geração da van, também produzida no país vizinho – mas Ferrarez garantiu que já está tudo planejado.

 

"Não temos definida a data de lançamento da nova geração. Caso seja ainda este ano, nós continuaremos produzindo a capacidade máxima de um turno na Argentina, mesmo com a queda do mercado argentino, pois o que não for vendido por lá virá para o Brasil para que nossas vendas não sejam prejudicadas".

 

O diretor adiantou algumas informações da nova geração, que manterá o motor diesel 2.2, mas com nova calibração para gerar mais do que os 146 cv atuais. O câmbio será o mesmo manual de cinco marchas, ainda devendo a opção de uma versão com transmissão automática ou automatizada.

 

Fotos: Divulgação.