Noma planeja produzir em Tatuí já em 2020

Imagem ilustrativa da notícia: Noma planeja produzir em Tatuí já em 2020
CompartilheImplementos Rodoviários
17/10/2019

São Paulo – A recuperação do mercado de implementos rodoviários e a expectativa de que os novos volumes vieram para ficar fizeram com que a Noma retomasse os planos para finalizar a construção de sua segunda fábrica, em Tatuí, SP. A ideia é que ela comece a operar em 2020, no máximo em 2021, informou seu diretor de exportação, Kimio Mori.

 

“É o nosso foco para o curto prazo. A unidade de Tatuí está 80% pronta e retomaremos o investimento para finalizar tudo e começar a funcionar, no máximo, até 2021. Mas a intenção é que ocorra já em 2020.”

 

O planejamento para operar com duas unidades ainda não foi definido. Segundo Mori o plano inicial de deixar a produção de componentes e a estamparia na unidade de Sarandi, PR, e a montagem na fábrica de São Paulo, é uma das alternativas: “Podemos fazer algumas alterações enquanto as obras são finalizadas”.

 

Atualmente a fábrica da Noma no Paraná opera em turno completo, com algumas áreas já em um segundo turno incompleto. O ritmo de produção está crescendo junto com o mercado, para acompanhar a demanda. Segundo Mori em janeiro a produção mensal estava em torno de duzentas unidades e, agora, já chegou a quatrocentas, mantendo o ritmo até dezembro, com 10% do volume dedicado às exportações para Bolívia, Paraguai e Uruguai.

 

Para dobrar seu volume de produção mensal ao longo do ano a Noma aumentou o quadro de funcionários, que em janeiro estava em torno de quatrocentos, e, até setembro, avançou para setecentos. Com mais funcionários e ritmo de produção crescente a empresa de implementos rodoviários abandonou de vez os dias complicados vividos nos últimos anos e projeta crescimento para 2019: "Como a base até 2018 ainda é um pouco baixa, nosso aumento de faturamento este ano ficará em torno de 130%".

 

Fenatran quente – Mori concedeu entrevista à Agência AutoData durante a principal feira latinoamericana do setor de transporte rodoviário de cargas. Segundo ele o movimento nos primeiros dias do evento está acima do esperado e, por isso, as projeções de vendas deverão ser superadas:

 

"Criamos uma meta para a feira junto com a equipe comercial. Mas na terça-feira tivemos um movimento muito acima do esperado, que costuma ser registrados nos últimos dias do evento, que são os mais fortes em vendas. Acredito que a nossa projeção será superada em, pelo menos, 20%, mas não posso revelar os números finais".

 

Durante a Fenatran a Noma apresentou ao público sua nova geração de implementos, a Titanium, e apostou em alguns pilares como redução de peso, mais segurança, menor manutenção por quilômetro rodado e desenho mais moderno.

 

A Noma projeta um 2020 de crescimento para o mercado de implementos rodoviários -- uma alta moderada, porém --, porque a base desse ano já será bem maior: "Nossa expectativa é a de que o mercado cresça de 5% a 10%, de maneira sustentável, porque grandes picos de crescimento não fazem bem para o setor e nem para as empresas. Com relação à Noma o foco é, sempre, pelo menos, acompanhar a alta do mercado".

 

Foto: Divulgação.