Indicador sobre expectativa do consumidor fica estável em novembro

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor, INEC, manteve-se estável em novembro na comparação com outubro. O indicador, avaliado mensalmente pela Confederação Nacional da Indústria, CNI, registrou queda de 0,2%, recuando para 101 pontos. A confiança do consumidor permanece em patamar baixo, 2,1% menor que o verificado em novembro de 2016 e 6,6% inferior à média histórica.

 

De acordo com a pesquisa, a estabilidade do INEC decorre de movimentos contrários de seus componentes. Enquanto os índices de endividamento e de expectativa de renda e de inflação caíram em relação ao mês anterior, os indicadores de situação financeira, de expectativa de desemprego e de compras de bens de maior valor registraram alta.

 

Para o economista da CNI Marcelo Azevedo, “a manutenção do pessimismo do consumidor indica que a recuperação da demanda nos próximos meses tende a ser moderada”.