Dieselgate condena mais um: sete anos.

Oliver Schmidt, ex-executivo da Volkswagen, foi condenado a sete anos de prisão pelo envolvimento no escândalo de manipulação das emissões de motores a diesel, caso que ficou conhecido como dieselgate. A condenação ocorreu na quarta-feira, 6, em um tribunal dos Estados Unidos, conforme informações da agência France Press.

 

Schmidt também foi condenado pelo juiz federal Sean Cox, de Detroit, Michigan, a pagar multa de US$ 400 mil por ser considerado peça chave na fraude.

 

O executivo foi preso no aeroporto de Miami em janeiro, quando embarcava para a Alemanha. Em agosto ele confessou ser culpado das acusações de conspiração e violação da Lei do Ar Limpo.

 

Schmidt é o segundo executivo sentenciado nos Estados Unidos pelo dieselgate. O engenheiro James Liang cooperou com o FBI e recebeu pena menor, de quarenta meses. Outros seis executivos foram processados mas estão na Alemanha.