Pretensão argentina é fazer crescer exportações. Até para cá.

Imagem ilustrativa da notícia: Pretensão argentina é fazer crescer exportações. Até para cá.
CompartilheComércio Exterior
22/01/2018

Após fechar 2017 com crescimento nos principais indicadores que servem de termômetro para o setor de veículos, como vendas, produção e exportações, a indústria argentina calcula que o cenário, este ano, deve manter ritmo do crescimento assemelhado. A retomada dos emplacamentos, no Brasil, a melhora da demanda interna e a diversificação no mercado externo são fatores que sustentam suas pretensões.

 

A indústria argentina quer que 2018 seja o seu ano das exportações, e projetou crescimento de 43% no volume de embarques na comparação com o que ocorreu no ano passado, chegando a 300 mil unidades. Se alcançar a meta será o melhor resultado desde 2014, quando foram exportadas 357 mil 847 unidades. O volume ainda está distante do recorde de 2011, 506 mil 715 unidades, mas a marca projetada é sinal dde conquista de novos mercados.

 

Sobre isso Luis Fernando Peláez Gamboa, presidente da Adefa, a associação das fabricantes argentinas, disse que o crescimento visto em 2017 no volume exportado marca um ritmo que deverá ser mantido nos próximos anos: “A melhoria que projetamos em nossos programas de exportação vem da diversificação dos mercados externos. Buscamos espaços em outros países afora os parceiros locais, e isso deve aumentar os volumes nos anos seguintes”.

 

Nas vendas internas a Argentina espera emplacar este ano 5% mais veículos do que no ano passado, chegando a 945 mil unidades mais os importados, para quem o governo criou políticas fiscais de estímulo -- mas ainda assim há a crença de que os lançamentos anunciados aumentem a procura pelo veículo nacional: “Há um impulso importante dos lançamentos de produtos nacionais. A isso soma-se a melhora do mercado interno e um cenário favorável aos financiamentos”.

 

Uma vez mantido o ritmo de crescimento esperado nas vendas internas o mercado poderá apresentar o melhor desempenho comercial dos últimos quatro anos – o recorde das vendas foi registrado em 2013, 963 mil 917 veículos nacionais e importados.

 

Com demanda em alta dentro e fora do país a produção de veículos na Argentina segue tendência de crescimento para garantir o abastecimento dos mercados onde atua. Com os anúncios feitos pelas fabricantes no ano passado, que tratam de investimentos em expansão da produção local, a Adefa visualiza crescimento de 20% no volume de veículos produzidos localmente ante o registrado em 2017, chegando a 565 mil unidades.

 

Afora a conquista em novos mercados, sobretudo na região do Caribe, a Argentina conta com o crescimento das vendas no Brasil, seu principal parceiro comercial, para poder aumentar sua capacidade instalada e, até 2023, alcançar a marca de 1 milhão de veículos produzidos estipulada pelo plano 1 Millón.

 

O presidente da Adefa acredita que o país ainda precisa melhorar suas estruturas para aumentar a produção e abastecer os mercados vizinhos: “O contexto positivo que é percebido para modificar nossas projeções está alinhado com o trabalho realizado em conjunto com o governo e a cadeia de valor. Um caminho que permitiu desenvolver diferentes medidas de impacto para o setor, como redução de custos de logística, modificação do imposto interno, o acordo com a Colômbia”.

 

Foto: Divulgação.