Renault vende cinco mil Kwid pela internet

Imagem ilustrativa da notícia: Renault vende cinco mil Kwid pela internet

A Renault anunciou na sexta-feira, 27, que vendeu até março 5 mil 106 unidades do modelo Kwid por meio da plataforma online K-Commerce, criada em janeiro exclusivamente para as vendas do veículo. A quantidade representa coisa de 37% das vendas totais do Kwid no trimestre, período em que foram vendidas 13 mil 687 unidades, segundo dados da Fenabrave.

 

O canal de venda direta, criado em parceria com a empresa de software SAP, foi desenvolvido para pessoas físicas, embora a empresa não descarte no futuro criar espaço na plataforma destinado às empresas, segundo Luiz Pedrucci, presidente da Renault do Brasil: “Estamos trabalhando para abrir as vendas às empresas mais para frente, talvez algo desenvolvido para as concessionárias, já que elas fazem parte do processo”.

 

A Renault aposta no comércio online com o objetivo de aumentar o leque de canais de vendas afora os tradicionais. A exclusividade do Kwid neste canal, segundo o executivo, tem a ver com a proposta do veículo no mercado, que é a de atrair um público que busca conectividade no segmento de entrada: “O volume vendido desde janeiro mostra que estamos no caminho certo. 100% do processo de venda pode ser feito online, e 70% dos pedidos feitos até hoje foram realizados via celular”. O valor do veículo no site é o mesmo que o visto nas concessionárias, confirmou Pedrucci.

 

O executivo evitou comentar expectativas acerca das vendas do modelo por meio online daqui pra frente. Segundo ele não há metas a serem batidas pelo K-Commerce. O que a empresa espera é que o canal se popularize entre os clientes de forma a consolidar a utilização da internet para compras de veículos: “Tratamos isso com pragmatismo. O importante neste momento é trabalhar este canal que representa uma ótima forma de vender automóveis. O mercado precisa estar aberto a novas plataformas de comércio, se modernizar”.

 

O Kwid terminou o trimestre como o oitavo veículo mais vendido no País. A empresa afirma que as vendas voltaram a crescer após período em que teve de acelerar em janeiro a produção do modelo em São José dos Pinhais, PR, para atender pedidos feitos ano passado e a demanda das exportações: “Os emplacamentos feitos no trimestre mostram que voltamos à normalidade. Mantivemos o ritmo de produção para atender às demandas do veículo na América Latina”. A fábrica instalada no Paraná segue trabalhando em três turnos, disse Pedrucci.

 

Foto: Divulgação.