Reydel integra parque de fornecedores da GM Gravataí

Imagem ilustrativa da notícia: Reydel integra parque de fornecedores da GM Gravataí

São Paulo – A General Motors segue fazendo modificações no condomínio industrial que mantém em Gravataí, RS, para receber a linha que produzirá uma nova família de veículos. Agora, além dos novos equipamentos que chegam, a empresa promove mudanças em sua cadeia de fornecedores e a mais recente foi a chegada da Reydel, que começará a operar em 18 de junho -- ela ocupará o espaço da Continental Automotive, que fornecia a partir dali os componentes para o painel do Onix e do Prisma.

 

Segundo Vagner Guazzini, gerente de recursos humanos da Reydel, a empresa em um primeiro momento fornecerá à GM peças para o cockpit dos veículos que são produzidos atualmente na fábrica. No entanto o executivo não descarta a participação da companhia no desenvolvimento dos novos produtos esperados para 2019. Para este primeiro momento a empresa teve de investir em expansão do galpão antes ocupado pela Continental e também na aquisição de injetoras de plástico.

 

A sistemista fechou contrato de fornecimento que tem duração de, no mínimo, dez anos. Para atender às demandas da GM teve de contratar duzentos funcionários – muitos deles com origem na Continental, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí –, que serão distribuídos em três turnos. Um primeiro grupo já foi homologado no início de março e os próximos serão incorporados ao longo de junho, disse Guazzini.

 

Procurada, a Continental afirmou em nota que segue fornecendo o painel onde ficam o velocímetro e o odômetro a partir de sua outra unidade, em Guarulhos, SP, mas parou de montar o cockpit. "Devido a questões operacionais, houve uma internalização de uma linha de montagem por parte da GM, o que não afeta o fornecimento dos produtos da Continental".

 

Recentemente anunciaram investimentos em Gravataí, em função do novo projeto da GM, a sistemista Valeo e a Yapp Automotive Systems, fabricante de sistemas de combustível. O condomínio industrial da GM opera desde 1999 e começou com 24 fornecedores instalados em terreno de 1,3 milhão de metros quadrados.

 

Esta será a segunda fábrica da Reydel no Brasil. A primeira está instalada em Guarulhos, SP, no prédio onde antes a sistemista Visteon mantinha produção. Na unidade paulista a produção da empresa é mais abrangente dentro do segmento de acabamento veicular: módulos de painel, painéis de portas e console. De lá saem os componentes que abastecem a produção local da GM – São Caetano do Sul, SP, e São José dos Campos, SP – e também Ford e Volkswagen.

 

De origem francesa a Reydel iniciou as atividades em 1914 produzindo capas de chuva e peças para bicicletas. Em 1959 passou a operar no setor automobilístico produzindo peças plásticas. Em 1995 a Plastic Omnium comprou o grupo. Em 1999 a empresa foi adquirida pela Visteon. Atualmente a empresa está sob controle da empresa indiana Motherson Sumi System, que a adquiriu por US$ 201 milhões em abril.

 

A companhia possui vinte fábricas em dezesseis países. Os funcionários, no total, são 5,6 mil.

 

Foto: Divulgação.