Expansão do mercado faz Marcopolo dobrar projeção para o ano

Imagem ilustrativa da notícia: Expansão do mercado faz Marcopolo dobrar projeção para o ano
CompartilheNegócios
13/08/2018

São Paulo - O desempenho do mercado de ônibus no primeiro semestre ficou acima do que a Marcopolo havia projetado no fim do ano passado, com isso, a empresa dobrou sua projeção de crescimento para o ano, segundo Francisco Gomes Neto, direto geral da companhia: “Tivemos boas surpresas com os resultados no acumulado até junho, com isso, mudamos nossa projeção para uma expansão de 20% a 30%, ante a inicial que era de crescimento de 10% a 20%”.

 

“A base de comparação ainda é muito baixa por causa da queda nos últimos anos, mas o primeiro semestre mostrou que o mercado está se recuperando e que será possível atingir nossa nova projeção de crescimento, até pelos pedidos que já recebemos para o terceiro trimestre do ano, que está dentro do que esperávamos”, disse o diretor. 

 

No primeiro semestre a receita líquida da Marcopolo chegou a R$ 1 bilhão 856 milhões, alta de 43,3% ante igual período do ano passado, crescimento puxado, principalmente, pelo segmento de ônibus urbanos, mas que também foi impactado pela maior demanda dos ônibus rodoviários e dos micro-ônibus.

 

O lucro da companhia foi de R$ 54,3 milhões até junho, alta de 86% na mesma base de comparação, porém, a empresa não divulga a projeção para o ano porque possuí capital aberto no mercado e essa informação pode influenciar as decisões futuras do mercado, mas a expectativa é que a expansão acompanhe a alta da receita.

 

A produção foi de 6 mil unidades, contra 3 mil 760 no mesmo período do ano passado, expansão acima de 40%, puxada pelo aquecimento do mercado interno e pelo crescimento das exportações, que chegaram a 1 mil 959 unidades embarcadas no semestre, alta de 47% com relação a igual período do ano passado.

 

“Fechamos bons negócios no continente africano e isso impulsionou o crescimento das nossas vendas para outros países”. Considerando as exportações em valores, houve crescimento de 66% no primeiro semestre, impulsionado pela alta do dólar.

 

Fotos: Divulgação.