Projeções indicam queda de 15% no mercado argentino

Imagem ilustrativa da notícia: Projeções indicam queda de 15% no mercado argentino
CompartilheComércio Exterior
23/01/2019

São Paulo – As projeções da consultoria Abeceb indicam que o mercado argentino fechará mais um ano com recuo nas vendas, reflexo da luta para sair da letargia na esfera econômica. A estimativa é encerrar o ano com 570 mil unidades licenciadas, o que representaria um queda de 15% na comparação com o volume do ano passado, 681,8 mil unidades.

 

Franco Roland, economista da Abeceb, disse à AutoData que, embora algumas montadoras locais trabalhem com a possibilidade de vendas na casa das 700 mil unidades, o humor no mercado é menos otimista com relação ao tema: “A projeção nesse patamar foi construída com base em cenário no qual o país consiga reagir bem às medidas promovidas pelo governo, o que ainda é visto, aqui, como incerto”.

 

Em entrevista concedida à imprensa argentina na semana passada Pablo Di Si, presidente da Volkswagen para a região da América do Sul, apontou vendas na casa das 700 mil unidade este ano. Disse também que haverá cenário negativo no primeiro semestre, com possível recuperação no seguinte.

 

De acordo com Roland, no entanto, a evolução gradual esperada pela indústria no segundo semestre “não será suficiente para reverter o quadro no acumulado do ano”.

 

No ano passado a Argentina vendeu 681,8 mil unidades ao mercado interno, segundo dados divulgados pela Adefa, resultado que é 23% menor do que o obtido no ano anterior, em 2017, quando o mercado viveu aquecimento nas concessionárias. O quadro foi revertido no segundo semestre do ano passado, quando o indicador das vendas passou a apontar para baixo refletindo a crise que afastou o consumidor. 

 

A retração esperada para este ano produzirá reflexos negativos na produção de veículos na comparação com o volume que saiu das linhas no ano passado, mesmo que diante da expectativa de maiores exportações ao Brasil, que, ao contrário da Argentina, passa por uma situação de aquecimento de mercado. Dados da Abeceb mostram que deverão sair das linhas argentinas 480 mil veículos, quantidade inferior à que foi produzida em 2018, 488 mil unidades. A projeção representa queda de 6%.

 

A exportação, por sua vez, é o indicador do setor automotivo argentino cuja projeção aponta para cima. O volume de embarques esperado para o ano gira em torno das 300 mil unidades, o que representará, caso venha a se concretizar, crescimento de 11% sobre o volume de exportações registrado no ano passado.

 

Foto: Divulgação.