Procon notifica Ford por EcoSport sem estepe

Imagem ilustrativa da notícia: Procon notifica Ford por EcoSport sem estepe

São Paulo – O Procon-SP notificou a Ford na quarta-feira, 27, a respeito da versão sem estepe do modelo EcoSport, lançada no mercado brasileiro em janeiro. A entidade ligada aos direitos do consumidor questionou o nível de segurança do veículo pelo ausência da roda extra – a tecnologia aplicada nos pneus do modelo, a run flat, evita que ele se esvazie em casos de avarias.

 

No documento enviado à montadora, o Procon pede esclarecimento sobre quais versões do EcoSport são comercializadas sem o estepe, quais itens de segurança foram incluídos para que fosse autorizada a venda do veículo, o que compõe o conjunto de reparo e quais as instruções para seu uso, se após o reparo é possível recuperar o pneu danificado ou é preciso substituição permanente, e, por fim, qual a extensão da rede de comercialização de pneus com tecnologia run flat.

 

Por meio de comunicado a Ford informou que recebeu a notificação e que está fazendo o levantamento das informações solicitadas pelo órgão: “Informamos que o produto foi devidamente homologado pelas autoridades competentes e está de acordo com a legislação vigente.”

 

A montadora aplicou a tecnologia, comum em veículos esportivos ou de luxo, na versão topo de linha do SUV, a Titanium 2020. Nas demais versões o estepe está instalado no lugar de sempre -- aparente, na tampa do porta-malas. A configuração estaria alinhada aos anseios dos consumidores no que diz respeito ao desenho – os modelos concorrentes, como Honda HR-V e Nissan Kicks, por exemplo, têm o estepe fixado dentro do porta-malas e, por terem um volume maior de vendas que o EcoSport, poderiam ter levado a montadora adotar esta medida no design do modelo.

 

A Ford não confirma a estratégia, mas na Europa teve de fazer movimentação semelhante à da linha 2020 e retirar o estepe aparente para agradar aos consumidores daquela região. No mercado brasileiro a roda fixada na tampa do porta-malas, visível, era considerada um dos principais apelos comerciais do modelo, o que levou a companhia a explorá-lo comercialmente como um veículo de uso urbano e fora de estrada. O conjunto roda-pneu na parte traseira é visto no mercado como algo que remete o veículo a um perfil aventureiro.

 

Afora os questionamento ligados a parte técnica do run flat, a Ford terá de responder ao Procon-SP questões que dizem respeito ao pós-venda. A entidade quer saber se há informações e recomendações ao consumidor no momento da compra do modelo e também no manual. A companhia teria de responder ao questionamento enviado até a sexta-feira, 29.

 

Foto: Divulgação.