Indústria de motocicletas revisa projeções para 2019

Imagem ilustrativa da notícia: Indústria de motocicletas revisa projeções para 2019

São Paulo – As fabricantes de motocicletas revisaram para cima as projeções traçadas para o mercado em 2019. A nova expectativa é a de que a produção aumente 6%, em vez de 4%, na comparação com o volume que saiu das linhas no ano passado, chegando a 1,1 milhão de unidades. No caso das vendas às concessionárias, o novo cenário é de que sejam 10,7% maiores do que os registrados em 2018, chegando a 1 milhão 60 mil unidades. A projeção anterior era de que o mercado, até dezembro, vendesse 7,7% mais.

 

Para o varejo a nova projeção da indústria divulgada pela Abraciclo na quarta-feira, 10, aponta para elevação de 8,5% ante 2018, o que representará, no final do ano -- caso se confirme a perspectiva -- 1 milhão 20 mil motocicletas emplacadas. No cenário anterior, a entidade antevia 998 mil unidades ou vendas 6,2% maiores do que as 940,1 mil unidades do ano passado.

 

Nas exportações, porém, a revisão foi para baixo: de menos 28% para 41% negativo, ou 40 mil embarques.

 

De acordo com Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, as projeções positivas para vendas e produção demonstram que o mercado interno absorveu as perdas que a indústria registrou no mercado externo: “As motocicletas que deixamos de exportar acabaram indo para as concessionárias, que viram suas vendas aumentarem em função de cenário positivo de crédito bancário e promoções em consórcios”.

 

No caso da queda nas exportações mais intensa, Fermanian aponta a crise no mercado argentino como responsável.

 

 

Resultados. Na quinta-feira a Abraciclo apresentou os dados referentes ao desempenho da indústria no trimestre. Até março, foram produzidas no País 276 mil 835 motocicletas, alta de 6,6% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. O volume foi positivo ainda que em março, mês de carnaval com dezenove dias úteis, a produção tenha sido menor que a de março do ano passado, chegando a 91 mil 537 unidades, o que representa queda de 3,3%.

 

As vendas ao atacado, no trimestre, chegaram a 270 mil 641 unidades, alta de 15,7%. Em março, foram vendidas às concessionárias 93 mil 559 unidades, 7,2% a mais do que em março do ano passado. Os emplacamentos no trimestre, por sua vez, chegaram a 258 mil 652 unidades licenciadas, alta de 17,9% ante o janeiro-março de 2018. Em março 83 mil 798 emplacamentos foram realizados, 5,6% a mais do que o volume registrado no mesmo mês do ano passado.

 

Nos três primeiros meses do ano foram exportadas 11 mil 382 motocicletas, queda de 51,2% ante mesmo período de 2018, quando foram embarcadas 23 mil 320 unidades. Em março o volume embarcado foi de 3 mil 525 unidades, redução de 54,5% na comparação com o mesmo mês no ano passado. A Argentina foi o principal destino das exportações brasileiras de motocicletas, com 3 mil 832 unidades, 37,7% do total exportado. Estados Unidos e Canadá fecham o grupo dos três principais destinos.

 

Foto: Divulgação.