Delphi Brasil torna-se base de exportação

Imagem ilustrativa da notícia: Delphi Brasil torna-se base de exportação
CompartilheFornecedor
26/04/2019

São Paulo – A Delphi do Brasil tornou-se base de exportação não só para os países vizinhos, mas para diversos outros mercados. Segundo Amaury Oliveira, diretor executivo de aftermarket para a América do Sul, anualmente cerca de 40% da produção das fábricas locais segue para outros países.

 

“Os componentes nacionais têm como destino diversos mercados, como China, Europa e Estados Unidos, para os segmentos de reposição e para OEM”.

 

Oliveira calcula que 44% da produção anual ao mercado OEM é exportada para Argentina, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Índia, Paquistão e Reino Unido. No caso da produção para o mercado de reposição a exportação é de 35% a 40%, chegando a  Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

 

A expansão das exportações se deve à qualidade dos componentes produzidos no Brasil e por um modelo de trabalho adotado pela companhia globalmente: “Assim como nós atendemos outros mercados com os itens nacionais, importamos componentes de outras fábricas da Delphi para complementar o nosso portfólio”.

 

A expectativa para o ano é manter o nível de exportações. O faturamento na região deverá crescer de 10% a 20%, segundo Oliveira: “Esse crescimento não virá de uma alta orgânica do mercado, mas de um plano de negócios no qual estamos trabalhando há alguns anos com novos produtos, novas linhas, complementação de outras linhas e novos clientes”.

 

Do faturamento anual na região 35% a 40% vêm do mercado de reposição e a outra parte do mercado OEM. No ano passado a empresa faturou 5 bilhões de euros, sendo 1 bilhão vindo de operações do aftermarket.

 

Foto: Divulgação.