Segue o drama da indústria argentina em setembro

Imagem ilustrativa da notícia: Segue o drama da indústria argentina em setembro

São Paulo – Os principais indicadores do mercado automotivo argentino seguiram em queda em setembro na comparação com o desempenho registrado no ano passado. Segundo dados da Adefa as fábricas lá instaladas produziram 241 mil 330 unidades até setembro, um volume 35% menor do que o produzido no janeiro-setembro de 2018.

 

A produção do mês, indicam os dados da entidade, chegou a 27 mil 687 unidades, o que representa queda de 25% sobre o volume produzido em setembro do ano passado.

 

As vendas aos concessionários, por sua vez, também chegaram a setembro sem demonstrar reação. Nos nove meses foram vendidas 291 mil 219 unidades de automóveis, comerciais leves, caminhões e chassis de ônibus. O volume representa recuo de 48% ante o volume licenciado em igual período no ano passado.

 

As vendas, no mês, somaram 26 mil 876 unidades em 21 dias úteis, um decréscimo de 37% ante as realizadas em setembro de 2018. Foi o pior resultado de vendas do ano no mercado argentino. Até então o menor volume tinha sido registrado em maio, com 27 mil 947 unidades.

 

As exportações de veículos produzidos na Argentina somaram 168 mil 23 unidades no acumulado do ano, queda de 15% sobre os embarques realizados nos nove meses do ano passado. Em setembro a queda foi de 37% na comparação com setembro do ano passado, chegando a 26 mil 876 unidades.

 

Até setembro os embarques ao Brasil representaram 65,4% do total exportado pela indústria argentina, com 109 mil 956 unidades. Com este volume, segundo o balanço da Adefa, para o mercado local foram exportados 29 mil 715 veículos a menos na comparação com os nove meses do ano passado.

 

Foto: Divulgação.