Venda de importados cresce no bimestre

Imagem ilustrativa da notícia: Venda de importados cresce no bimestre
Foto Jornalista Redação AutoData

Por Redação AutoData

CompartilheVendas
03/03/2020

São Paulo – As quinze marcas associadas à Abeifa registraram em fevereiro 2 mil 668 licenciamentos, volume 6,8% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado. Houve crescimento, também, na comparação com janeiro, segundo dados divulgados pela entidade que representa os importadores de veículos, de 10,8%.

 

O bimestre fechou com alta de 2,1%, somando 5 mil 705 unidades comercializadas. Tendência que, segundo o presidente José Luiz Gandini, deverá reverter nos próximos meses caso a escalada do dólar – a moeda valorizou 11,6% de 2 de janeiro até o primeiro dia útil de março – não seja interrompida:

 

“O setor de veículos importados esforçou-se ao máximo por manter os preços mais estáveis em real, e por isto o resultado é positivo em fevereiro e no primeiro bimestre”, afirmou o presidente da Abeifa em nota. “A permanecer essa escalada do dólar, porém, certamente nossos números de venda serão afetados seriamente para baixo nos próximos meses”.

 

O repasse aos preços será inevitável, de acordo com Gandini – ele lembrou que, em dólar, o preço dos importados, hoje, está no patamar mais acessível dos últimos anos, o que gera boa oportunidade para o consumidor.

 

A Volvo liderou as vendas no mês, com 651 licenciamentos, 19,2% a mais do que em fevereiro de 2019. Completam o ranking Kia, com 599 unidades vendidas e alta de 1%, e Land Rover, 232 emplacamentos e avanço de 22,8% na mesma base de comparação.

 

As associadas da Abeifa com produção nacional – BMW, Caoa Chery, Land Rover e Suzuki – registraram 2,9 mil licenciamentos de veículos, alta de 24,5% sobre fevereiro do ano passado. No bimestre o crescimento chegou a 26,1%, com 5,4 mil unidades emplacadas – e puxado pela Caoa Chery e seu avanço de 56,1% no período, para 3,6 mil unidades, a única a registrar variação positiva de um bimestre para o outro.

 

Foto: Divulgação.