Trabalhadores rejeitam lay off e Renault estende parada até maio

Imagem ilustrativa da notícia: Trabalhadores rejeitam lay off e Renault estende parada até maio
Foto Jornalista  André Barros

Por André Barros

CompartilheCovid-19
09/04/2020

São Paulo – A Renault prorrogou até 3 de maio as férias coletivas das fábricas do Complexo Ayrton Senna em São José dos Pinhais, PR, cujo retorno dos funcionários estava previsto para a segunda-feira, 14 de abril. A ideia inicial era colocar os trabalhadores em lay off, dentro das medidas de flexibilidade do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda do governo federal, mas os cerca de 7 mil trabalhadores, em assembleia, recusaram a proposta.

 

“A empresa propôs condições superiores às estabelecidas na medida provisória”, alegou a Renault em comunicado. Em nota o sindicato afirmou que o PLR, previsto para ser pago em 10 de maio, foi o ponto da discórdia. “Mesmo a empresa garantindo que os trabalhadores receberiam 100% dos rendimentos líquidos, o trabalhador optou por reprovar a iniciativa, uma vez que ela não atenderia as expectativas nos quesitos data-base e PLR”.

 

Segundo a companhia não houve uma assembleia oficial: a consulta da proposta foi feita com um número reduzido de trabalhadores. A Renault alega também que as negociações de PLR e de lay off deveriam ser feitas de forma separada, mas o sindicato insistiu em colocar ambos na mesma votação.  Assim, optou por conceder mais férias coletivas aos trabalhadores e antecipar os feriados de 21 de abril e 7 de setembro no período, com retorno em 4 de maio, logo após o feriado do Dia do Trabalho.

 

* Reportagem atualizada em 13 de abril com mais informações da Renault

 

Foto: Divulgação.