Estoques: quase seis meses de vendas na Argentina.

Imagem ilustrativa da notícia: Estoques: quase seis meses de vendas na Argentina.

São Paulo – Em crise desde o fim de abril, quando a forte desvalorização do peso provocou freada no crescimento econômico, a indústria automotiva da Argentina acumula nada mais nada menos do que 260 mil unidades em estoque nos pátios de concessionárias, montadoras e terminais portuários. O levantamento foi feito pelo site Ámbito Financiero com base em informações de executivos da indústria e de autoridades de governo.

 

Como as estimativas mais recentes de executivos apontam para um mercado de 550 mil a 600 mil unidades na Argentina em 2019 o nível de carros 0 KM parados na Argentina representa quase metade do volume que será comercializado no ano que vem – bem acima da média considerada saudável pelo mercado, de um mês nas fábricas e um mês nas concessionárias.

 

Ou seja, não seria preciso produzir nenhum automóvel para a Argentina nos próximos seis meses – eliminando, é claro, o efeito da falta de algum modelo ou versão de maior demanda.

 

Segundo o Ámbito Financiero o alto nível do estoque já provoca claras consequências: fábricas já estão suspendendo turnos de produção – que só não parou mesmo por causa da demanda do mercado brasileiro, que segue trajetória oposta ao argentino. E a própria rede começa a se mexer, oferecendo descontos para desovar os modelos 0 KM encalhados.

 

É mais negócio, pois o custo financeiro do capital imobilizado supera os 60%, de acordo com a publicação. Muitos concessionários já reduzem suas estruturas, demitindo pessoal e fechando pontos de vendas. Há casos em que os veículos são vendidos abaixo do valor de mercado.

 

Os varejistas argentinos projetam licenciar pouco mais de 29 mil unidades em dezembro, mês considerado atípico pela troca de ano/modelo – muitos adiam a compra para pegar, em janeiro, um veículo 2019.

 

Foto: Divulgação.