Elétricos podem reduzir emprego na Europa, aponta estudo

São Paulo – Relatório da FTI Consulting mostrou que a Comissão Europeia subestima os reflexos da produção de veículos elétricos no nível de emprego na União Europeia. O documento, divulgado na terça-feira, 4, mostra que a redução de componentes esperada nos automóveis movidos a eletricidade será responsável pela diminuição de vagas de trabalho na região.

 

O estudo aponta que poderia haver sérias implicações para toda a cadeia de fornecedores, afetando desproporcionalmente o setor de autopeças. Projeta-se que as empresas do segmento produzirão aproximadamente 38% menos peças e componentes para carros elétricos. Muitos desses fornecedores na UE são pequenas e médias empresas que terão mais dificuldades em fazer a transição em um curto espaço de tempo do que os fabricantes de automóveis, segundo o estudo.

 

Hoje a indústria automobilística é responsável por mais de 11% do total de empregos industriais da UE. Em oito países da UE – República Tcheca, Alemanha, Itália, Eslováquia, Hungria, Romênia, Suécia e Reino Unido – o setor automotivo é responsável por mais de 20% do total de empregos industriais.