JAC completa linha T40 com versão automática

Imagem ilustrativa da notícia: JAC completa linha T40 com versão automática
CompartilheLançamento
16/04/2018

A JAC anunciou na segunda-feira, 16, o início das vendas da versão automática do T40, modelo SUV que chega ao mercado brasileiro no fim do mês equipado com câmbio CVT. Com a gama completa a empresa mira um volume de vendas de 8 mil unidades até dezembro, o dobro do volume vendido no ano passado.

 

O T40, que será produzido aqui no começo de 2020 em fábrica que será instalada em Itumbiara, GO, chegou ao mercado, em setembro, na versão equipada com câmbio manual. Seu desempenho de vendas, segundo o empresa, implicou uma média de 275 unidades emplacadas mensalmente até março.

 

Com o desembarque da versão CVT a JAC quer chegar às seiscentas unidades/mês, num mix composto por 150 unidades com câmbio manual e 450 restantes com automáticos. Segundo Sérgio Habib, presidente da SHC, empresa que representa a JAC no País, o mercado está inclinado a comprar veículos automáticos:

 

“O consumidor de veículos no Brasil está propenso às compras de veículos automáticos por causa de boas experiências com modelos anteriores. Quem entra agora no segmento de SUV também busca o modelo automático. O modelo com câmbio mecânico, por exemplo, está encalhado nas nossas lojas”.

 

Ele baseia seu ponto de vista usando dados de mercado de 2017, que mostram que 83,4% de todos os SUVs vendidos eram equipados com câmbio automático.

 

Na comparação com o T40 dotado de câmbio manual a versão CVT tem diferenças no acabamento e também possui itens a mais. Habib disse que a SHC teve liberdade para opinar no desenvolvimento do modelo com o qual esperam aumentar a participação da empresa no mercado: “Um dos pilares da nossa parceria com a JAC é a liberdade de criar um carro brasileiro, que possua o que o cliente daqui está buscando”.

 

As modificações propostas na versão CVT – e aceitas – pela equipe baseada na matriz, na China, foram no painel, que tem tela multimídia, indicadores sobre desempenho do veículo e acabemento em couro, câmaras frontal e de ré, itens de que a versão manual não dispõe. O preço anunciado pela empresa é de R$ 69 mil 990.

 

Outro pedido de Habib foi que a versão automática tivesse sistema start–stop: “É um item que aumenta o preço do carro, mas valeu a pena porque, de fato, promove redução do consumo de combustível. Só a bateria do sistema custa R$ 1,8 mil. É um custo alto, mas necessário”.

 

Afora a transmissão, fornecida pela Punch Powertrain o T40 CVT também tem novo motor: 1.6 16V DVVT, com 138 cv de potência. Há também pacote de equipamentos: controle de cruzeiro, de estabilidade, de tração e assistente de partida em rampas.

 

Foto: Divulgação.