Fenabrave revisa para baixo suas projeções para o ano

Imagem ilustrativa da notícia: Fenabrave revisa para baixo suas projeções para o ano

São Paulo – A Fenabrave revisou para baixo suas projeções sobre a venda de veículos no País. Na terça-feira, 2, a entidade mostrou seu terceiro panorama para o ano – a expectativa de crescimento de 11% em termos de volumes, que daria um total de 2 milhões 852 mil 932 unidades licenciadas de automóveis, comerciais leves, caminhões e chassis de ônibus, foi reduzida para 8,3%, ou 2 milhões 781 mil 87 unidades.

 

A entidade levou em consideração no redesenho das suas projeções fatores ligados diretamente ao mercado de veículos, como confiança do consumidor em queda, diante de panorama político e econômico incerto a respeito das reformas. Considerou também o quadro macroeconômico, como redução sistêmica do PIB, recuo da atividade industrial e da concessão de crédito para empresas.

 

Por segmento a projeção de venda de automóveis passou de alta de 10,3%, divulgada em abril, para 7,4% sobre as vendas realizadas em 2018, o que configura um volume de 2 milhões 259 mil 150 unidades. No caso dos comerciais leves a projeção passou de alta de 14,5% para 10,9%, ou 409 mil 264 unidades. Redução também nas vendas de ônibus, de 20% para 19% de crescimento.

 

No caso dos caminhões, entretanto, a entidade elevou suas expectativas nas vendas: de alta de 15,4% para 17,6%, ou 89 mil 885 unidades licenciadas. Segundo Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave, a concessão de crédito nesse segmento, ao contrário do que se espera nos demais, é maior e favorecerá a renovação de frota ao longo do ano.

 

Semestre – As vendas no primeiro semestre registraram crescimento em todos os segmentos, o que acabou culminando nos 12% de alta no resultado consolidado. Nos primeiros seis meses do ano foram vendidos 1 milhão 65 mil 888 automóveis, 11% a mais na comparação com o volume vendido no primeiro semestre de 2018. No caso dos comerciais leves foram 183 mil 11 unidades licenciadas, 8,5% a mais.

 

No segmento de caminhões, por sua vez, os emplacamentos chegaram a 46 mil 867 unidades até junho, o que representa crescimento de 45% sobre a mesma base um ano antes. As vendas de ônibus, por fim, somaram 12 mil 403 unidades, crescimento de 71% creditado às vendas para o programa federal Caminho da Escola e ao processo de renovação de frota de ônibus intermunicipais que está em curso.

 

Foto: Divulgação.