Vendas internas puxam a produção de motocicletas

Imagem ilustrativa da notícia: Vendas internas puxam a produção de motocicletas
Foto Jornalista  André Barros

Por André Barros

CompartilheResultado
23/01/2020

São Paulo – Puxada por um mercado interno aquecido a produção brasileira de motocicletas registrou em 2019 seu segundo ano consecutivo de crescimento, somando 1,1 milhão de unidades montadas no Polo Industrial de Manaus, na Capital amazonense. O volume representa 6,8% de aumento sobre 2018, quando o ritmo das linhas superou novamente a marca de 1 milhão de unidades, de acordo com dados divulgados pela Abraciclo na quinta-feira, 23.

 

Podia ser mais, segundo o presidente Marcos Fermanian: as fabricantes não conseguiram acompanhar a aceleração do mercado doméstico, especialmente por causa de gargalos na cadeia fornecedora: “É um desafio contínuo. São gargalos de toda a natureza, inclusive o financeiro, pois temos empresas fornecedoras sem condições de investir em aumento de produção. Está no dia a dia de cada fábrica a administração da cadeia de fornecedores”.

 

As vendas internas avançaram 14,6% no ano passado, chegando a 1 milhão 77 mil unidades. “Superamos novamente a barreira do 1 milhão também no varejo”.

 

Segundo o presidente da Abraciclo a queda na taxa de juros tem incentivado os bancos a liberarem crédito, componente importante para o desenvolvimento das vendas de motocicletas. No ano passado 43,9% das motos comercializadas foram por meio de CDC, Crédito Direto ao Consumidor, 33% à vista – mas muitas dessas com parcelamento no cartão de crédito – e 23,1% por meio de consórcio.

 

“Os licenciamentos de consórcio caíram um pouco no ano passado porque as fábricas não conseguiram atender todos os contemplados”.

 

O ritmo acelerado do mercado doméstico acabou minimizando o desempenho negativo das exportações, altamente contagiadas pela situação da Argentina. No ano passado foram exportadas 38,6 mil motocicletas, recuo de 45,3% com relação a 2018. Só o mercado argentino apresentou queda de 60% nas encomendas de motocicletas produzidas em Manaus e viu sua participação no total dos embarques cair de 70%, em 2018, para 47% no ano passado.

 

O cenário deve ser similar em 2020, segundo as projeções da entidade: crescimento de 6,1% na produção, chegando a 1 milhão 175 mil unidades, alta de 5,8% nos licenciamentos, somando 1 milhão 140 mil unidades, e nova queda, de 27,5%, nas exportações, para 28 mil motocicletas.

 

Foto: Divulgação.