Airbag envolvido em recall faz primeira vítima fatal no Brasil

Imagem ilustrativa da notícia: Airbag envolvido em recall faz primeira vítima fatal no Brasil
Foto Jornalista Redação AutoData

Por Redação AutoData

CompartilheEmpresa
17/02/2020

São Paulo – O Brasil entrou na lista de países que registraram vítima fatal dos airbags da Takata. Na quarta-feira, 12, a Honda foi informada de acidente, no Rio de Janeiro, RJ, envolvendo um New Civic LXS e que resultou na morte do motorista em função da deflagração anormal do insuflador do airbag. A montadora divulgou comunicado sobre o assunto na sexta-feira, 14.

 

O modelo envolvido na ocorrência foi convocado para recall em 2015, para troca do componente defeituoso do airbag do lado do motorista. Segundo a Honda o veículo não foi levado à concessionária para reparo. O recall dos chamados airbags fatais é o maior da história no Brasil. Dados da Senacon, a Secretaria Nacional do Consumidor, mostram que 3,5 milhões de veículos vendidos no País saíram de fábricas com bolsas infláveis defeituosas.

 

São quinze as fabricantes de automóveis que já convocaram recall envolvendo o equipamento da Takata. A Toyota foi a que registrou maior número de campanhas, com 1,7 milhão de veículos em doze campanhas apontadas pelo Senacon. A Honda tem 1,4 milhão de unidades convocadas. A Nissan registrou mais de 330 mil automóveis afetados.

 

O defeito no insuflador dos air bags da Takata teve as primeiras notícias divulgadas em 2014. Desde então já são mais de 80 milhões de carros e 100 milhões de deflagradores de bolsas, no Brasil e no mundo. O deflagrador do air bag é o componente metálico que infla a bolsa quando ocorre impacto. No caso dos air bags Takata fragmentos metálicos do deflagrador podem ser lançados na direção dos ocupantes dos bancos dianteiros, causando ferimentos.

 

Apesar de o caso só ter se tornado público em 2014 há relatos de casos posteriores a esta data envolvendo os Honda Accord fabricados em 2004.

 

Foto: Divulgação.