Desafio Nissan: vender 1 milhão de elétricos em 2022.

Imagem ilustrativa da notícia: Desafio Nissan: vender 1 milhão de elétricos em 2022.

O Grupo Nissan lançou o seu plano de médio prazo Nissan Move to 2022, pelo qual planeja vender 1 milhão de veículos eletrificados, expandir e desenvolver sistemas de condução autônomos e acelerar a conectividade dos seus veículos. O plano envolve, também, as marcas Infiniti e Datsun, e as suas subsidiárias na China. A informação foi divulgada na segunda-feira, 26, pelo site Flash de Motor, da Venezuela.

 

Como relatado pela marca japonesa em um comunicado faz parte do plano a produção de oito novos modelos 100% elétricos e uma ofensiva de produtos na China por meio das três marcas. Lá a Nissan comercializará um veículo elétrico no segmento C, derivado do novo Leaf, e um no segmento econômico por meio de sua joint venture com a Alliance eGT New Energy Automotive.

 

A Nissan continuará a expandir sua tecnologia e-Power e espera que as vendas de elétricos envolvam até 40% do seu volume total de vendas no Japão e na Europa em 2022, e 50% em 2025. Sua expectativa para os Estados Unidos é de 20% a 30% e de 35% a 40% na China.

 

A fabricante de veículos pretende, também, introduzir um mini-veículo elétrico no Japão e desenvolver um crossover, também de propulsão elétrica, inspirado no IMx Concept. E equipar vinte modelos com tecnologia de condução autônoma.

 

Com o Nissan Move to 2022 a conectividade atingirá todos os seus veículos e os das outras marcas do grupo. A ideia é a de que a Infiniti, em 2021, também terá novos modelos eletrificados, que representarão 50% de suas vendas até 2025.

 

Com relação à direção autônoma, e como parte de seu plano, a Nissan anunciou a ideia de adotar sua tecnologia ProPilot em vinte modelos até 2022 e planeja vender 1 milhão desses veículos nesse ano.

 

E, com a Alliance Connected Cloud, todos os veículos Nissan, Infiniti e Datsun incorporarão "a mais recente tecnologia em conectividade", que permitirá a "integração da gestão de dados", disse o vice-presidente da Renault-Nissan-Mitsubishi Ogi Redzic.

 

Foto: Divulgação.